Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Hospital do Rio atende 16 fãs após adiamento de show de Taylor Swift no Engenhão

Vários fãs passaram mal pelo calor, enquanto alguns até chegaram a ter queimaduras graves pela estrutura metálica que cobria a Pista Premium do evento

O calor no Rio de Janeiro nesse sábado (18) bateu recorde com temperaturas a 42,5°C às 16h. Enquanto isso, os fãs da cantora Taylor Swift eram liberados para entrar no Estádio Nilton Santos, o Engenhão. Na correria para pegar um lugar bom e ver a cantora de perto, várias pessoas caíram na estrutura metálica montada no gramado e acabaram com queimaduras graves. Com isso, o Hospital Municipal Salgado Filho informou que recebeu 16 pacientes vindos do evento depois que foram informados do adiamento.

“A direção do Hospital Municipal Salgado Filho informa que recebeu 16 pacientes vindos do Estádio Nilton Santos, neste sábado (18), por diferentes causas. Seis deles foram trazidos de ambulância e receberam atendimento de emergência (sala vermelha), e os demais deram entrada pelo acolhimento de urgência (sala amarela). Todos já receberam alta, com exceção de um, que passa por avaliações”, diz, em nota à Itatiaia.

Uma fã de Taylor Swift compartilhou seu relato nas redes sociais de como acabou com queimaduras de segundo grau. “Hoje 18/11 eu fui no Estádio Nilson Santos para o show da Taylor Swift e saí com 3 queimaduras de segundo grau. As placas de metal que cobriam o chão da pista premium viraram uma CHAPA QUENTE com os 40°C”, escreveu.

Ela contou que caiu por tropeçar “em razão da fraqueza depois de horas na fila”. “No posto, haviam muitos com queimaduras por terem sentado no chão sem saber da temperatura e por terem sido empurrados contra a grade”, relatou.

A reportagem esteve presente no estádio para o show de sábado (18) e constatou o calor que tomava o local. Depois das reclamações e de uma fã que morreu por parada cardíaca, a produção removeu os tapumes que cobriam entradas de ar dentro do Engenhão e chegou a colocar ventiladores para o público que aguardava pelo show.

No entanto, pela quantidade de gente acumulada no ambiente, mesmo quando o sol já não atingia mais a estrutura, ela ainda estava aquecida a ponto de deixar queimaduras se não estivesse protegido.

A Itatiaia entrou em contato com a T4F, produtora responsável pelos shows de Taylor Swift no Brasil, mas até o fechamento da matéria não obteve resposta. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

Alta temperatura

Na nota publicada nas redes sociais, Swift pontuou que a decisão de adiar o show desse sábado (18) foi tomada por causa das extremas temperaturas do Rio de Janeiro. A temperatura da cidade bateu novo recorde de calor, marcando 42,5°C. “Estou escrevendo isso do meu camarim no estádio. A decisão tomada foi de adiar o show que seria realizado hoje pelas extremas temperaturas no Rio”, afirmou.

A artista também disse, que para ela, o bem-estar dos fãs, dos parceiros e equipe devem estar em primeiro lugar.

Morte de fã

Além do risco à saúde das pessoas que estariam envolvidas no evento, outro motivo que pode ter levado a cantora cancelar a apresentação deste sábado (18), teria sido a morte de uma fã que passou mal durante a apresentação desta sexta-feira (17). A estudante de psicologia Ana Clara Benevides, de 23 anos, faleceu em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Ela chegou a ser atendida no estádio, foi transferida para o Hospital Municipal Salgado Filho. Os profissionais tentaram reanimá-la, mas não tiveram êxito.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, informou em vídeo publicado no ‘X”, antigo Twitter, que a artista também estaria muito abalada com a morte da jovem - o que teria a impossibilitado de se apresentar neste sábado (18).

Natasha Werneck é jornalista formada pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH). Foi repórter de Política e Cultura do Jornal Estado de Minas e já atuou em portais como Hugo Gloss e POPline. Foi estagiária da Itatiaia e retornou à empresa em 2023, como repórter de Entretenimento.
Leia mais