Ouça a rádio

Compartilhe

iFood lança moto elétrica para entregadores em parceria com Voltz

Modelo vai custar menos de R$ 10 mil para os parceiros da plataforma

Parceria entre empresas quer melhorar mobilidade de forma sustentável

Uma parceria entre iFood e Voltz quer incentivar o uso da moto elétrica EVS Work iFood pelos entregadores parceiros da plataforma em todo o Brasil. A iniciativa é parte da meta do iFood de, até 2025, realizar 50% das entregas com veículos não poluentes. “É um ganho para o entregador, para o meio ambiente e toda a sociedade”, afirma André Borges, head de sustentabilidade do iFood.

Para Borges, as empresas devem promover a sustentabilidade nos negócios e no ecossistema. “Esse tipo de união viabiliza as mudanças necessárias para uma sociedade melhor”, diz. A primeira cidade a receber a opção é São Paulo, mas a novidade deve chegar a outras localidades até o fim do ano. 

O veículo será vendido por R$ 9.999,90. Em parceria com o banco BV, haverá uma linha de financiamento com condições diferenciadas e um subsídio de R$ 2 mil para as 300 primeiras unidades financiadas — mediante aprovação de crédito. Estimativas apontam que a economia em manutenção e rodagem é de, em média, 70%.

O entregador Bruno dos Santos acredita que a economia pode ser até maior. “Uma moto que não tem relação [corrente, pinhão e coroa], não tem óleo, não tem filtro, não tem vela e não tem gasolina? Não tem como um negócio desse ser ruim. Eu economizo, em relação à que eu tinha, uns 70% ou até 80%.”

Bateria como serviço

A moto pode ser recarregada em qualquer tomada e o processo leva cerca de 5 horas. Os entregadores podem assinar um plano que prevê a troca gratuita de bateria em pontos autorizados. As mensalidades variam de R$ 129 (para quem roda até 2.000 Km por mês) a R$ 319 (quilometragem e trocas ilimitadas). 

iFood faz parceria com Voltz para oferecer motos elétricas a entregadores

Nesse conceito, o usuário usa a bateria como serviço e faz a substituição (em vez de se preocupar em carregá-la em casa ou em outros pontos de recarga) em uma rede de estações de troca rápida. Inicialmente, haverá cem estações para realizar essa operação em postos Ipiranga na capital paulista. 

Uma fase de testes teve a participação de 30 entregadores. Nesse período, foi possível observar que um entregador que percorre 3.000 Km por mês gasta em torno de R$ 610 de combustível. Com a moto elétrica, esse custo pode se tornar fixo, se o parceiro optar pelo sistema de bateria como serviço, e a economia só em combustível será de mais de 60% .

Para Claudia Storch, diretora de logística do iFood, esse é apenas o início de uma mudança efetiva no segmento de delivery. “São mais de 200 mil entregadores ativos pela nossa plataforma. Essa é uma oportunidade de ter acesso a uma moto elétrica com menor custo, mais econômica, gerando um impacto efetivo  na redução de emissão de carbono no meio ambiente.”

Ficha técnica

EVS Work iFood

Moto elétrica é personalizada para entregadores da plataforma
  • Velocidade máxima: 85 km/h (para boa autonomia, mas a moto pode ser programada para velocidades superiores)

  • Autonomia: de 100 a 180 km

  • Emissão de CO2: zero

  • Capacidade de suporte do baú: 20 kg

  • Preço: R$ 9.999,90

  • Garantia: 2 anos

  • Custo mensal de manutenção: 70% menor do que o da moto tradicional (economia com combustível e manutenção)

  • Recarga da bateria: pode ser feita em tomadas comuns

  • Tempo de recarga da bateria: 5 horas

  • Troca da bateria: pode ser realizada em 100 estações**

  • Tempo de troca da bateria: 1 minuto

  • Revisão: indicada a cada 5.000 Km rodados (não obrigatória)

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido