Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Assassinato que fechou o Anel Rodoviário de BH envolve instrutor de tiros, crise de ciúmes e ameaça

Briga começou em uma churrascaria da região Oeste de BH

Homem foi executado no Anel Rodoviário

Homem foi executado no Anel Rodoviário

Oswaldo Diniz/Itatiaia

O assassinato que fechou o sentido Rio de Janeiro do Anel Rodoviário de Belo Horizonte no começo da manhã desta sexta-feira (25) envolve crise de ciúmes e discussão entre amigos em uma churrascaria na região Oeste de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima é Cleber Augusto Esteves, 38 anos, que estava no estabelecimento com a namorada e amigos. Ele foi morto a tiros na altura do bairro Bonsucesso, região do Barreiro.

Ainda conforme a PM, Cleber teve uma crise de ciúmes e não queria deixar a namorada ir embora. Um amigo, que é instrutor de tiros, interveio e disse que a mulher iria permanecer no estabelecimento somente por vontade própria.

Os dois começaram a discutir e foram colocados para fora da churrascaria. Eles deixaram o local em carros próprios e pegaram o sentido Rio de Janeiro do Anel Rodoviário. Em meio ao deslocamento, o amigo enviou para colegas um vídeo no qual Cleber o ameaçava de morte. Em seguida, informou aos mesmos colegas, em arquivo de áudio, que tinha assassinado Cleber. A vítima tinha passagens por roubo, homicídio e furto.

A Itatiaia teve acesso ao vídeo. Na gravação, feita pelo instrutor, Cleber é filmado em outro carro, um SUV da namorada, e ameaça para a câmera: “Pode filmar. Eu sou bandido. Eu vou te matar”, disse Cleber. “A partir agora vocês estão vendo que é legítima defesa, né?”, diz o instrutor de tiros. Após essa gravação, Cleber foi à casa da companheira, deixou o SUV e pegou um Ford Fiesta. Pouco tempo depois, foi executado pelo instrutor.

Peritos da Polícia Civil identificaram vários disparos na vítima. O corpo será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Jornalista formado em Comunicação Social pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH). Na Itatiaia desde 2008, é “cria” da rádio, onde começou como estagiário. É especialista na cobertura de jornalismo policial e também assuntos factuais. Também participou de coberturas especiais em BH, Minas Gerais e outros estados. Além de repórter, é também apresentador do programa Itatiaia Patrulha na ausência do titular e amigo, Renato Rios Neto.
Jornalista formado pela Newton Paiva. É repórter da rádio Itatiaia desde 2013, com atuação em todas editorias. Atualmente, está na editoria de cidades.
Leia mais