Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Mulher trans que fez perfil falso em app de namoro é condenada por tentar matar homem em BH

O crime aconteceu em 2021; Jacqueline Roberta Ornelas ficará presa em regime fechado

Foi condenada a 13 anos e quatro meses de prisão a mulher trans Jaqueline Roberta Ornelas, acusada de homicídio qualificado e tentativa de coação, após jogar óleo quente em um homem e ainda coagir parentes da vítima. O júri terminou no final da noite dessa segunda-feira (27) no Fórum Lafayette, no bairro Barro Preto, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

O crime aconteceu em 2021. Na época, a Polícia Civil descobriu que a vítima, que tinha 22 anos, se envolveu com Jaqueline, que hoje passa por transição de gênero. O relacionamento durou cerca de três meses.

Em 30 de outubro do mesmo ano, quando, após conversarem online por alguns meses, os dois se conheceram pessoalmente, a vítima perguntou pela mulher que figurava no perfil - pois, na ocasião, Jaqueline ainda não havia feito a transição de gênero. Foi assim que começou uma briga entre os dois e Jaqueline jogou óleo quente em direção ao rapaz, que teve queimaduras em diversas partes do corpo.

Jacqueline ficará presa em regime fechado, na unidade prisional onde já se encontra detida.

Para a mãe da vítima, a Justiça foi feita. “Depois de um dia na maçante em um tribunal, só consigo sentir gratidão. Primeiramente, a Deus. Nada passa despercebido na Justiça divina, e a Justiça da Terra está sendo feita”, avaliou a familiar, que preferiu não se identificar.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista formado pela Universidade FUMEC, com ênfase em Gestão de Crises Institucionais. Na Itatiaia desde 2017, cobriu grandes eventos ligados à Igreja Católica, como a Beatificação da mineira Isabel Cristina Mrad Campos e a morte do Papa Emérito Bento XVI, em 2022. Além de repórter, é produtor e editor do programa “Café com Notícia”.
Formado em jornalismo pela PUC Minas, foi produtor do Itatiaia Patrulha e hoje é repórter policial e de cidades na Itatiaia. Também passou pelo caderno de política e economia do Jornal Estado de Minas.
Leia mais