Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Ex-subsecretário do Governo de MG é suspeito de financiar execução de advogado no MT

Coronel do Exército, Etevaldo Luiz Caçadini de Vargas estaria envolvido no assassinato de Roberto Zampieri, em Cuiabá; advogado teria sido morto por disputa judicial envolvendo uma fazenda

mata adv.jpg

Etevaldo Luiz Caçadini de Vargas também é cidadão honorário de BH

Reprodução

Etevaldo Luiz Caçadini de Vargas, ex-subsecretário de Integração de Segurança Pública de Minas Gerais, foi preso na manhã desta segunda-feira (15) em Belo Horizonte. O coronel do Exército é suspeito de financiar a execução do advogado Roberto Zampieri, morto a tiros em frente ao seu escritório em dezembro de 2023.

Segundo o delegado Nilson Farias, o coronel foi alvo de um mandado de prisão temporária. A prisão do militar, que é suspeito de arcar com os custos financeiros do assassinato de Roberto Zampieri, deve ajudar a Polícia Civil do Mato Grosso a concluir o inquérito. As informações são do jornal O Globo.

Etevaldo foi nomeado subsecretário de Integração de Segurança Pública de Minas Gerais em janeiro de 2019, primeiro ano do governo de Romeu Zema. Em setembro do mesmo ano, ele pediu para ser exonerado. Em 2022, Etevaldo recebeu o título de Cidadão Honorária pela Câmera Municipal de Belo Horizonte. A Itatiaia tenta contato com a defesa do suspeito.

Relembre o caso

Roberto Zampieri, de 57 anos, foi executado com pelo menos 10 tiros em frente ao seu escritório no bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá, no dia 5 de dezembro. Segundo a imprensa local, a rua em que Roberto trabalhava é uma das mais movimentadas do bairro e fica perto de uma base da Polícia Militar. Câmeras de segurança registraram o momento em que um homem se aproxima do carro do advogado e efetua os tiros. Veja o vídeo:

Dois homens responsáveis pela execução do advogado foram presos em Minas Gerais no dia 20 de dezembro. O responsável pelos disparos foi detido em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. Já a mandante foi detido em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. Junto com ela, foram apreendidas três armas. O motivo do crime seria uma disputa judicial por uma fazenda no Mato Grosso, em que Zampieri foi advogado de uma das partes.

Siga o canal da Itatiaia no WhatsApp. Clique aqui e faça parte!

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais