Ouvindo...

Times

Vídeos de pessoas lançadas por airbags viralizam, mas ‘brincadeira’ é perigosa, dizem médicos

Uso indevido de dispositivos pode causar de fraturas simples a traumas fatais, como traumatismo cranioencefálico

Um importante item de segurança em veículos, o airbag pode oferecer riscos quando utilizado indevidamente — como em pegadinhas publicadas nas redes sociais.

Nos vídeos, é possível ver pessoas sendo arremessadas após o suposto acionamento de airbags. Em alguns casos, o indivíduo que passará pela experiência sabe o que vai acontecer; em outros, a pessoa é supostamente surpreendida pela “brincadeira”.

@just__justin__ ♬ …..Wiii – ⚡ 𝕵𝖊𝖘𝖚𝖘⚡

Embora em algumas imagens possa parecer inofensivo, a intensidade do acionamento dos dispositivos pode causar diversos traumas, incluindo acidentes graves. “Isso não deveria nem ser chamado de brincadeira porque pode acarretar riscos importantes para a pessoa”, diz o neurologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Diogo Haddad.

O objetivo original do airbag é “suportar altos impactos”. “Basicamente, ele serve para proteger as estruturas nobres, como a cabeça, o tórax e o abdome”, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, João Antonio Matheus Guimarães.

Porém, “se você coloca isso em uma situação em que você está inerte, parado, e você sofre todo esse impacto, é um risco enorme para o indivíduo”. “Ele é lançado longe, pode bater com a cabeça, pode cair sentado a fraturar a coluna, o cóccix, pode quebrar o braço ou o punho, por exemplo”, acrescenta o médico.

A gravidade das consequências dependerá de alguns fatores, como o peso do indivíduo ou a posição da queda.

No caso da coluna, Guimarães explica que “dependendo da magnitude, da energia do trauma, pode causar uma lesão da medula, da estrutura nervosa da coluna”.

Esse tipo de lesão pode acarretar desde sequelas simples até sequelas definitivas, como paralisias e alterações sensitivas, de acordo com Haddad.

O neurologista chama atenção para as lesões que podem ser provocadas na cabeça, gerando, inclusive, risco iminente à vida.

“Você pode ter desde uma concussão simples, uma batida onde possa ter mal-estar, enjoo, náusea, e algumas outras alterações associadas ao próprio trauma, que podem levar de minutos até dias para passar, ou pode ter importantes alterações, como hematomas, hemorragias e sangramento, que necessitam de uma intervenção rápida”, descreve.

Acompanhe as últimas notícias produzidas pela CNN Brasil, publicadas na Itatiaia.
Leia mais