Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Artista plástico de 12 anos homenageia Hulk, do Atlético, em tela

O piauiense Pedro Gui é fã de Hulk e usou referências da carreira do atacante atleticano em sua obra

hulk

Natural do Piauí, o artista plástico Pedro Gui fez homenagem ao atacante atleticano

Arquivo Pessoal

A idolatria pelo atacante Hulk, do Atlético, rompe as fronteiras de Minas Gerais. Desta vez, quem usou as redes sociais para demonstrar o carinho pelo camisa 7 do Galo foi um jovem artista plástico piauiense. Apaixonado pelo desenho desde os dois anos, Pedro Gui, hoje com 12, transformou a história do paraibano em tela e foi notado pelo jogador em seu perfil do Instagram.

Autodidata, o menino nasceu em 15 de julho de 2011, em Teresina, e possui nacionalidade luso-brasileira, graças ao avô paterno, português. Sua jornada artística ganhou destaque no início da pandemia, em abril de 2020, quando começou a criar retratos em tela como uma forma de distração. As imagens de suas obras foram compartilhadas nas redes sociais e rapidamente ganharam reconhecimento em todo o país. Sua produção, fortemente influenciada pelo estilo Pop Art, chamou a atenção do público e da mídia.

“Decidi fazer esta homenagem ao Hulk por meio da minha arte porque sou muito admirador e muito fã dele. Adoro ver os jogos do Campeonato Brasileiro e sempre acompanho o Atlético por conta do Hulk. Também adoro arte, fazer pinturas e desenhos. Quis representar um dos meus ídolos”, conta Pedro Gui à Itatiaia.

Problema com o detalhe azul

Logo que a arte ganhou as redes sociais, um detalhe no desenho incomodou os torcedores do Atlético. O azul, em referência ao Porto, de Portugal, foi motivo para que o garoto recebesse uma enxurrada de mensagens no post. Isso, devido à rivalidade com o Cruzeiro.

“Quando eu estava produzindo a tela, decidi fazer algumas referências à história do Hulk. Em algumas partes, eu usei o vermelho para fazer referência ao Vitória, onde ele iniciou. Em outras, fiz referência ao Porto. Também não podia faltar o Atlético Mineiro, onde se tornou um grande ídolo. Por influência dele, passei a gostar muito do clube. Depois que postei as imagens, alguns atleticanos vieram reclamar do azul, fazendo observação da rivalidade com o Cruzeiro”, explica Gui.

“Eu não tinha pensado nisso, porque não tinha muita ideia desta rivalidade, por ser piauiense. Realmente, isso incomodou os torcedores do Galo, então acabei tento que fazer algumas mudanças e tirei o azul da camisa. Foi uma emoção muito grande ser notado por um dos meus ídolos. Isso me deixa mais motivado a continuar fazendo minha arte e homenagens. Eu e minha mãe estamos vendo a possibilidade de enviar a tela para presenteá-lo.

Mais sobre o artista plástico

Pedro Gui teve a oportunidade de participar de várias entrevistas em redes de alcance local, nacional e internacional, destacando-se sua participação no programa “Conversa com Bial,” da Rede Globo, onde dividiu o palco com o renomado artista Romero Britto, uma de suas inspirações.

Em apenas 3 anos, Pedro Gui já pintou centenas de telas e suas obras estão presentes nas casas de grandes artistas brasileiros, como Simone e Simaria, Carlinhos Maia, Mano Walter e o também piauiense Whindersson Nunes. Além disso, seu trabalho alcançou reconhecimento internacional, com representação em Nova York através da galeria Saphira & Ventura Gallery e da New York International Contemporary Art Society. Ele já teve exposições em Paris e se prepara para ser embaixador mirim da Bienal Amazônia 2025, durante a COP 30 em Belém do Pará, com prévias em diversas cidades, incluindo New York, Rio de Janeiro, Cairo, São Paulo e Manaus em 2024.

Pedro Gui, além de sua dedicação à arte, também prossegue com seus estudos, atualmente no 7 ano do ensino fundamental. Ele já aceita encomendas para suas obras e conta com uma ampla base de admiradores em suas redes sociais, somando mais de 35 mil seguidores.

Recentemente, sua obra “Guardiã da Biodiversidade” alcançou a incrível marca de 1 milhão de visualizações em sua rede social @pedrogui.

Algumas das conquistas notáveis de Pedro Gui incluem sua participação com quatro obras no Salão Internacional de Arte Contemporânea, no Louvre, Paris, em outubro de 2022. Em 2023, lançou seu primeiro livro, “A Descoberta do Dom,” disponível em 13 países, a convite da editora internacional Ases da Literatura. Além disso, recebeu a Medalha de Honra ao Mérito Legislativo da Câmara Municipal de Teresina, sendo a pessoa mais jovem a receber essa distinção, um reconhecimento por sua contribuição significativa à cidade. Fez sua primeira exposição solo no senado federal em Brasília, em outubro de 2023

Pedro Gui é uma criança dotada de conhecimento empírico da arte visual, destacando-se desde cedo por seus traços detalhistas e seu carinho dedicado a cada obra. Sua produção é constante e contínua, o que lhe rendeu o reconhecimento de diversas personalidades da sociedade brasileira.

Henrique André é repórter multimídia e setorista do Atlético na Itatiaia. Acumula passagens por Uol Esporte, Jornal Hoje em Dia e outros veículos. Participou da cobertura de grandes eventos, como Copas do Mundo (2014-18) e Olimpíada (2016-2021).
Leia mais