Ouvindo...

Times

Chile não tem goleiras para disputar final do futebol feminino no Pan-Americano

Organizadora dos Jogos Pan-Americanos não permitiu troca na lista de convocados

O Chile está na disputa do ouro do futebol feminino nos Jogos Pan-Americanos. A grande final será disputada na sexta-feira (3), às 20h (de Brasília), estádio Elías Figueroa Brander, em Valparaíso, no Chile. Para enfrentar o México, o time da casa tem um enorme problema: não tem goleiras disponível.

A seleção anfitriã da disputa teve duas goleiras disponíveis ao longo do torneio, iniciado no dia 22 de outubro: Tiane Endler (PSG-FRA) e Antonia Canales (Valencia CF-ESP). As atletas conseguiram liberação para a disputa, no entanto, apenas no período entre 23 a 31 de outubro.

É o período que os clubes são obrigados a ceder as atletas por estar compreendido na Data Fifa. O Pan-Americano não é uma disputa oficial da Fifa, então os times não têm obrigação de ceder jogadoras após esse tempo. Com ‘prazo expirado’, as atletas voltaram para a Europa.

Nesse contexto, a Federação Chilena enviou uma carta à PanAm Sports, organizadora dos Jogos Pan-Americanos com o pedido de substituição de uma atleta por uma goleira. A solicitação foi rejeitada.

“O Comitê Executivo decidiu, após examinar cuidadosamente o assunto, não aprovar a substituição solicitada. Confiamos que nossa decisão sobre este assunto seja clara”, diz parte da resposta da PanAm, obtida pelo jornal La Tercera, do Chile.

O técnico Luis Mena convocou 18 atletas. Duas goleiras, cinco zagueiras, seis jogadoras para o meio-campo e cinco atacantes. Ainda não há solução para o problema instaurado.

Em campo

Na fase de grupos, o Chile venceu Paraguai, Jamaica e perdeu para o México. Na semifinal, venceu a equipe Sub-19 dos Estados Unidos.

O México está invicto no torneio. Venceu Chile, Jamaica e Paraguai. Nas semifinais, passou pela Argentina.

O Chile busca o ouro inédito. O país foi prata em 1987 e duas vezes bronze (1951 e 1963).

O México tem quatro medalhas de ouro (1967, 1975, 1999, 2011), quatro de prata (1955, 1991, 1995 e 2015) e três bronzes (2003, 2007 e 2019).

Emerson Romano escreve semanalmente sobre futebol
Leonardo Parrela é repórter multimídia na área de esportes na Itatiaia. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, colaborou com Globo Esporte, UOL Esporte e Hoje Em Dia, onde cobriu Copa do Mundo, Olimpíada e grandes eventos.
Leia mais