Ouvindo...

Times

Veja dez disputas para ficar de olho no Pan-Americano de Santiago

Abertura do evento será realizada nesta sexta-feira (20)

Maior evento esportivo do continente, o Pan-Americano começa oficialmente nesta sexta-feira (20), embora algumas disputas já tenham sido realizados antes mesmo da abertura. A cerimônia que marca o início do evento será realizada a partir das 20h (de Brasília) no Estádio Nacional de Chile, em Santiago.

Entre estrelas já consolidadas e nomes menos conhecidos, o Brasil terá 633 atletas no Pan de Santiago. Ao todo, levando em consideração técnicos, médicos e outros profissionais, a delegação brasileira terá mais de mil pessoas.

A 19ª edição do evento continental, primeira disputado na Chile, será disputada até o dia 5 de novembro. Ao todo, serão distribuídas 2.986 medalhas.

Abaixo, veja dez disputas importantes envolvendo os atletas brasileiros no Pan-Americano de Santiago.

Luta contra o Canadá

Com os Estados Unidos consolidados como a principal força esportiva do continente, embora não conte com várias estrelas no Pan-Americano de Santiago, o primeiro lugar do quadro de medalhas já tem dono. A meta do Brasil é conseguir repetir o feito de Lima, em 2019, e ficar na segunda colocação geral.

Para isso, terá um adversário de peso. Depois de ficar na quarta colocação em 2019, o Canadá terá um time bem mais forte em 2023. Com maior participação dos principais atletas do país em cada modalidade, os canadenses devem disputar medalha a medalha o posto de segunda maior força com o Brasil.

Chuva de medalhas

Para cumprir a meta de superar o Canadá, o Brasil conta com bons resultados da ginástica. O país é grande favorito a conquistar as oito medalhas de ouro na rítmica. Com a equipe que vem de boa participação no Mundial, a artística também deve conseguir alguns ouros. Flávia Saraiva e Rebeca Andrade (veja mais sobre ela em outro tópico) são as grandes estrelas.

No ginástica de trampolim, o Brasil vive o melhor momento em sua história e também tem chances de subir ao lugar mais alto do pódio. Alice Gomes e Camila Lopes são nomes importantes.

Estrela presente, mas poupada

Uma das grandes atletas brasileiras em atividade, Rebeca Andrade fará no Chile sua estreia em Jogos Pan-Americanos. Depois da grande participação no Mundial, com um ouro, três pratas e um bronze, ela foi mantida na delegação para Santiago, mas será poupada.

Com a carreira atrapalhada por graves lesões, dentre elas três ligamentares no joelho, ela não vai disputar o solo. Consequentemente, a brasileira está fora do individual geral. Sem Simone Biles, ela seria grande favorita ao ouro nas duas provas.

Dessa forma, Rebeca Andrade vai disputar trave, salto e barras assimétricas. Ela também pode ajudar a equipe brasileira.

Favoritismo no Skate

Outro esporte em que o Brasil entra como favorito em várias disputas é o skate. No street feminino, Rayssa Leal e Pâmela Rosa são as melhores colocadas do ranking entre as atletas em disputa e podem subir juntas ao pódio. No masculino, Gabryel Aguilar e Lucas Rabelo serão os representantes após pedido de dispensa de Kelvin Hoefler.

No skate park, O Brasil também carrega favoritismo com Augusto Akio e Raicca Ventura.

Medalhistas olímpicos

Embora alguns grandes nomes não tenham ido a Santiago, como Mayra Aguiar, Alison dos Santos, Pedro Barros e Bia Haddad, o Brasil terá vários dos principais atletas do país em Santiago. Ao todo, serão 20 medalhistas olímpicos no Pan: Ana Marcela Cunha, Arthur Nory, Rebeca Andrade, Doda, Rodrigo Pessoa, Bia Ferreira, Abner Teixeira, Isaquias Queiroz, Baby, Rafaela Silva, Ketleyn Quadros, Daniel Cargnin, Felipe Wu, Rayssa Leal, Fernando Scheffer, Martine Grael e Kahena Kunze, Laura Pigossi, Luisa Stefani e Maicon Andrade.

Além deles, Darlan Romani, Marcos D’Almeida e Ana Patrícia e Duda são nomes importantes para ficar de olho.

Bicampeãs olímpicas pressionadas

Entre todos os campeões olímpicos, duas estão especialmente pressionadas para o Pan-Americano de Santiago. Depois dos ouros no Rio e em Tóquio, Martine Grael e Khaena Kunze foram mal no Mundial da modalidade e não conseguiram se classificar para Paris antecipadamente.

O Pan de Santiago vai distribuir uma única vaga para os Jogos Olímpicos na 49er FX, apenas para a dupla campeã da categoria. As brasileiras são amplas favoritas para o ouro, mas entram pressionadas por não estarem garantidas em Paris. As argentinas são as principais adversárias, mas estão em outro patamar.

Se a vaga não for conquistada no Pan, ainda haverá a chance na “Regata da Última Chance”, envolvendo duplas de todo o mundo.

Favoritas mordidas

Grandes nomes do vôlei de praia mundial e líderes do ranking neste momento, Ana Patrícia e Duda chegam ao Pan-Americano de Santiago como grandes favoritas ao ouro no vôlei de praia feminino.

As jogadoras do Praia Clube perderam a final do Mundial no início do mês para as norte-americanas Cheng e Hughes e buscam ficar com o título para esquecer o vice-campeonato.

Retomar protagonismo

No vôlei, o Brasil vai ao Pan-americano com o objetivo de subir no lugar mais alto do pódio pela primeira vez desde Guadalajara 2011. Nos dois naipes, o time nacional não conquistou o ouro nas últimas duas edições do evento continental.

Entre as mulheres, a República Dominicana chega como grande favorita ao ouro. Isso porque as caribenhas foram para Santiago com o elenco principal, diferentemente de outras equipes.

No masculino, o Brasil também leva elenco mesclado entre jovens e atletas mais experientes.

Veja mais sobre o vôlei feminino no Pan
Veja mais sobre o vôlei masculino no Pan

Vagas olímpicas em jogo

O boxe, esporte que mais deu medalhas ao Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, é a modalidade que mais terá vagas para Paris distribuídas no Pan-Americano de Santiago. Os dois primeiros colocados de cada categoria se garantem em Paris. Keno Marley, Abner Teixeira e Bia Ferreira são grandes nomes do boxe nacional que têm chances de medalhas no Chile.

Outras modalidades também vão distribuir vagas para os Jogos Olímpicos. Ao todo, serão 244 atletas classificados ao fim do evento.

Time forte

Esportes populares nos grandes eventos, natação e atletismo também são grandes esperanças de medalhas para o Brasil. Nas piscinas, Fernando Scheffer e Guilherme Costa são favoritos entre os homens. Após boa participação no Mundial, Bia Dizzoti também é um dos destaques da delegação de 42 atletas.

No atletismo, Darlan Romani é um dos destaques e favoritos a medalha. Os norte-americanos melhores do mundo não vão disputar a competição continental, o que abre espaço para o brasileiro.

Hugo Lobão é repórter multimídia do portal Itatiaia Esporte. É formado em Jornalismo pela PUC Minas. Antes da Itatiaia, passou por Hoje Em Dia, Record e Globo Esporte. Amante de esportes olímpicos.
Leia mais