Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Candidato morto no Equador foi ameaçado por cartel dias antes do crime

Integrantes do cartel ameaçaram o político caso ele seguisse citando o nome do líder, Alias Fito

Fernando foi morto com três tiros na cabeça nesta quarta (9)

Fernando foi morto com três tiros na cabeça nesta quarta

Reprodução | Youtube visionariasec

Fernando Villavicencio, candidato à presidência do Equador morto nesta quarta-feira (9) a tiros, revelou durante entrevista que foi ameaçado por um cartel do país poucos dias antes de ser assassinado.

Durante participação no programa Vis a Vis na última quarta-feira (2), apresentado por Janet Hinostroza, junto com os outros candidatos, Fernando relatou que equipes de seguranças e Manabí, cidade do Equador, receberam visitas de aliados de Alias Fito, líder do cartel Los Choneros, conhecidos no país pela ligação com crimes como tráfico de drogas, extorsão e homicídios.

Os integrantes do grupo teriam falado que, se o político continuasse citando o nome de Fito e do cartel durante sua campanha política, ele morreria. O candidato decidiu por continuar sua campanha, que reforça o combate à corrupção e crime organizado, e voltou a receber ameaças.

Segundo ele, um número com código da Indonésia teria enviado mensagens com os mesmos dizeres. Fernando decidiu por denunciar o caso, porém, poucos dias depois, recebeu uma nova mensagem dos criminosos, que alegavam ‘saber tudo que ele estava fazendo’.

Até o momento, não há informações que liguem o grupo à morte do político. Ninguém foi preso.

Momento do crime

Imagens gravadas por pessoas que estavam presentes no evento de campanha da vítima mostraram o momento em Fernando é atingido e as demais pessoas se abaixam para se proteger dos disparos. Até o momento, ninguém foi preso e não há informações sobre a autoria e motivação do crime. Confira:

Quem era Fernando Villavicencio?

Sindicalista e jornalista investigativo, Fernando Villavicencio tinha 59 anos e foi deputado entre maio de 2021 e maio de 2023, aproveitando o mandato para denunciar casos de narcotráfico e corrupção. Ele saiu do cargo após o presidente Guilherme Lasso dissolver o parlamento e convocar novas eleições. Depois de perder o mandato, anunciou sua intenção de concorrer à presidência.

Na última pesquisa de intenção de voto, divulgada pela Telcodata, ele aparecia em 4º lugar, com 6,8% das intenções de voto. Mais de 30% dos eleitores entrevistados afirmam estar indecisos, o que deixa a disputa ainda mais acirrada. As eleições estão previstas para o dia 20 de agosto.

O perfil de Fernando Villavicencio no Instagram chegou a divulgar vídeos com os últimos momentos de vida do candidato. Desde então, sua equipe tem compartilhado notícias e fotos sobre o atentado em que foi morto.

A Rádio de Minas. Tudo sobre o futebol mineiro, política, economia e informações de todo o Estado. A Itatiaia dá notícia de tudo.
Leia mais