Ouça a rádio

Compartilhe

O que se sabe sobre o principal suspeito de participação na morte de Bárbara

Reportagem da Itatiaia apurou alguns pontos da investigação que ainda precisam ser esclarecidos

Suspeito foi ouvido e liberado pela Polícia Civil

Por que o principal suspeito de participação no assassinato brutal da menina Bárbara Victória, de 10 anos, não ficou preso? Alguns pontos da investigação ajudam a responder o questionamento feito por quem acompanha o caso.

A reportagem da Itatiaia apurou alguns pontos da investigação que ainda precisam ser esclarecidos. Um deles é a possibilidade de o corpo de Bárbara ter sido desovado na madrugada de segunda (1º) para terça-feira (2), data em que o suspeito não estaria mais no bairro, uma vez que ele corre risco de ser linchado na região. Fontes ligadas à perícia acreditam que o corpo não estava no matagal desde domingo (31), dia em que ela desapareceu.

Outro ponto intrigante é que há uma suspeita de que o corpo tenha sido levado até o campo de carro. O homem que aparece nas imagens não tem veículo.

Um passo importante no caso foi coleta de material genético do suspeito feita na noite dessa terça-feira (2), informação dada com exclusividade pela Itatiaia.

A Itatiaia também apurou que o homem está colaborando com a investigação.

Contradições

O suspeito aparece ao lado de Bárbara em várias imagens de câmeras de segurança da região. Por isso, a Polícia Militar (PM) foram atrás dele na última segunda-feira (2). Porém, após prestar depoimento à Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), ele foi liberado.

No primeiro contato com os militares, o homem negou ser a pessoa que aparecia nas imagens. Entretanto, o filho dele o identificou. De acordo com o registro policial, ele disse: "amo o senhor, pai, mas não posso negar que no vídeo que é o senhor".

Isso gerou imensa suspeita e os policiais decidiram ir até o lote onde ele mora. Na entrada da casa, a polícia encontrou uma sacola de pão semelhante à que a criança estava segurando antes de desaparecer.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, a polícia perguntou se ele havia comprado o pão e ele confirmou. Mas, não soube precisar o horário que foi até a padaria no último domingo (31). Porém, em conversa com a repórter Amanda Antunes, a dona do estabelecimento negou que ele tenha ido ao local no dia do desaparecimento.

Mãe reconheceu

À polícia, a mãe de Bárbara relatou que conhece o suspeito. De acordo com ela, o homem foi à casa da família para dar manutenção no sistema de energia elétrica. De acordo com a PM, após ser indagado, o confirmou que conhecia a mãe da criança e a vítima, mas disse que não está envolvido com o crime.

Entenda o caso

O corpo de Bárbara Vitória foi encontrado nessa manhã de terça-feira (2) em um campo de futebol, no bairro Pedra Branca, em Justinópolis, também em Ribeirão das Neves. A criança estava amordaçada e vestia uma camisa do Atlético. A roupa de baixo de Bárbara havia sido retirada e há suspeita de que ela tenha sofrido violência sexual.

A criança de 10 anos desapareceu no último domingo (31). Ela tinha sido vista pela última vez na rua Sete, no bairro Landi, mas a família mora no bairro Mantiqueira, na mesma cidade. O pai da menina afirmou à polícia que Bárbara saiu de casa às 17h para buscar pão – o trajeto duraria cerca de cinco minutos. Bárbara não voltou para casa e os pais começaram a procurá-la.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store