Ouça a rádio

Compartilhe

Itatiaia se depara com falta de médicos em quatro de cinco centros de saúde visitados na região Noroeste de BH

Reportagem registrou ausência dos profissionais após às 18h

A reportagem visitou cinco centros de saúde na região Noroeste de BH

Matheus Oliveira

Em meio à crise de falta de médicos em Belo Horizonte, a Itatiaia percorreu alguns dos centros de saúde da regional Noroeste após usuários reclamarem de falta de atendimento na reta final de funcionamento dos postos. Em quatro dos cinco visitados não havia médico após as 18h, de acordo com informações repassadas nas recepções dessas unidades.

Atualmente, quase todos os 152 centros de saúde de BH ficam abertos até às 19h. Essa ampliação de horário veio em novembro de 2019, segundo a Prefeitura, "para maior oferta de serviço à população." "Após este horário e aos finais de semana e feriados, os atendimentos são realizados nas UPAs", afirma nota da Secretaria Municipal de Saúde enviada à reportagem no dia 1º de junho.

Mas, na prática, nos dias em que a Itatiaia passou pelos cinco postos, o paciente que necessitasse de atendimento precisaria recorrer às UPAs antes mesmo do fechamento dos centros de saúde. E a justificativa variou: em um, disseram que não haveria consulta por falta de médico; em outro, que o atendimento médico não funciona até esse horário.

Centro de Saúde Bom Jesus

No dia 3 de junho, às 18h18, a informação repassada por uma funcionária na portaria do Centro de Saúde Bom Jesus, no bairro de mesmo nome, foi a de que não havia médico. "Nessa semana o médico que fica aqui até as 19h está de licença, porque ele gripou. E aí a gente está sem médico nesse horário."

Centro de Saúde Santos Anjos

Também no dia 3 de junho, às 18h27, funcionários da recepção relataram falta de médico no Centro de Saúde Santos Anjos, no bairro Caiçara. "Não [estamos tendo atendimento], estamos sem médicos", afirmou uma das profissionais.

Centro de Saúde Carlos Prates

No mesmo dia, às 18h38, uma funcionária que nos atendeu na recepção do Centro de Saúde Carlos Prates, no bairro de mesmo nome, disse que os profissionais já haviam ido embora. "Nesse horário não [está tendo atendimento]. Agora, as equipes praticamente já se foram todas. Até a enfermeira já se foi. Até umas 16h30, 17h, as equipes ainda estão aqui na unidade. Aí vai dando esse horário, o pessoal já está começando a fechar a unidade, né... Se fosse uma [unidade] 24 horas ou uma UPA, daria [para atender], mas agora a gente já começa a encerrar o expediente." Questionada sobre o funcionamento do posto até as 19h, ela respondeu: "Até 19h ficam alguns setores ainda abertos, para a gente orientar mesmo."

Centro de Saúde Glória

Nessa quarta-feira, às 18h21, passamos pelo Centro de Saúde Glória, no bairro de mesmo nome. A funcionária que estava na recepção relatou: "Agora não [tem atendimento]. Não tem médico na unidade, já foi embora." Perguntada sobre o fechamento do posto às 19h, ela respondeu: "É até 19h é para a gente marcar exame, pegar receita, né, farmácia..."

Centro de Saúde Coqueiros

Também nessa quarta, às 18h26, a orientação no Centro de Saúde Coqueiros, no bairro de mesmo nome, foi procurar uma UPA. Inicialmente, um funcionário nos atendeu na recepção. "Para o que seria [o atendimento]?", questionou. Em seguida, ele se informou com outra funcionária e retornou com a resposta: "Vai ser referenciada para uma UPA, por causa do horário." Questionamos que o horário de atendimento é até 19h e dissemos que o suposto paciente estava só a duas ruas dali. "Até você trazer [o suposto paciente]... O horário dele (do médico) é até 19h. Ele vai avaliar e encaminhar para a UPA."

Não é só na Noroeste

Problema semelhante foi enfrentado pela assistente social Glauce Conceição de Souza em outra regional, a Noroeste. No dia 19 de maio ela foi ao Centro de Saúde Maria Goretti, mas não conseguiu atendimento. O marido, que a acompanhava, o motorista de aplicativo Alicio Cesar da Cruz, relata a pressão da esposa chegou a 22 por 13. "Era 18h20, aproximadamente. Eles falaram que iam pedir uma ambulância, mas que poderia demorar 2 ou 3 horas. Tive que colocar minha esposa no carro e levá-la para a UPA Norte. Um posto de saúde aberto sem médico é o mesmo que não ter posto de saúde", reclama.

Resposta da Prefeitura

A Secretaria de Saúde de BH enviou a seguinte nota como resposta:

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que os 152 Centros de Saúde da capital funcionam 12 horas por dia. O atendimento é realizado das 7h às 19h ou 6h30 às 18h30, de segunda a sexta-feira.

Diariamente são atendidas cerca de 30 mil pessoas nessas unidades, que juntas contam com 589 equipes da Estratégia de Saúde da Família. Essas equipes são formadas por enfermeiro, médico, técnico de enfermagem, agente comunitário de saúde, podendo também ser composta por cirurgião dentista, auxiliar de saúde bucal e/ou técnico de saúde bucal.

O acolhimento de usuários é garantido durante todo o horário de funcionamento do centro de saúde, não sendo feito estritamente pelo profissional médico. Um enfermeiro pode acolher, avaliar e encaminhar os usuários de acordo com o quadro clínico. Em casos de maior gravidade, o paciente é encaminhado para a UPA mais próxima por meio do SAMU.

A Secretaria Municipal de Saúde informa que vai apurar a situação enviada pela reportagem. A orientação repassada às unidades de saúde é a de garantir o acolhimento ao usuário, por um profissional de saúde, durante todo o horário de funcionamento do centro de saúde.

A Prefeitura vem acompanhando o aumento dos atendimentos nas unidades de saúde, principalmente para questões respiratórias, devido à sazonalidade desta época do ano, que apresenta temperaturas mais baixas. O município está tomando as providências necessárias para garantir plena assistência à população e trabalha ininterruptamente para recompor as equipes, caso necessário.

É importante destacar que a Secretaria Municipal de Saúde homologou no fim de abril o concurso público da área da saúde, edital 001/2020 que previu oportunidade para todos os cargos das carreiras da saúde, medicina e vigilância sanitária. Cerca de 35 médicos já tomaram posse. Há previsão para que neste mês, outros 193 médicos generalistas sejam nomeados e integrem as escalas dos centros de saúde.

Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde mantém ativo um banco de currículos para contratação imediata de médicos. Os interessados devem acessar o site da Prefeitura de Belo Horizonte para realização do cadastro - BANCO DE CURRÍCULOS | Prefeitura de Belo Horizonte.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido