Ouça a rádio

Compartilhe

Canastra leva a melhor em disputa com queijos de todas as partes do mundo

Produto mineiro figura no topo da lista dos melhores queijos do mundo, de acordo com site Taste Atlas

Hugo e João Carlos Leite comemoram o primeiro lugar entre os 50 melhores queijos do mundo

Produtores de Queijo Canastra acordaram nesta terça-feira (21) com a notícia de que a iguaria produzida por eles está no topo de uma lista dos “50 melhores Queijos do Mundo”, de acordo com o site Taste Atlas, que se auto intitula “O Atlas da Comida Mundial”. O queijo mineiro aparece em primeiro lugar à frente dos mundialmente conhecidos Grana Padano, Gorgonzola, burrata e pecorino, entre outros.

 

“Sim, com certeza, é uma notícia para ser comemorada”, diz o jornalista gastronômico e especialista em queijo, Eduardo Girão, embora faça uma ressalva: “Os critérios sobre como foi feita a votação, não são claros. Não dá pra saber se foi por voto popular ou se um grupo de críticos opinou”, disse.

O gerente executivo da Associação dos Produtores de Queijo da Canastra (Aprocan), Higor Freitas, também ficou curioso a respeito e pesquisou. Chegou à conclusão que o Taste Atlas é uma plataforma colaborativa, nos mesmos moldes do Wikipedia, em que os próprios usuários vão alimentando, enviando fotos, comentários e dando notas aos pratos e estabelecimentos. “É um ranking, um guia das principais comidas típicas e restaurantes ao redor do mundo, com uma categoria exclusiva para queijos”.

“E não é mal feito”, emenda Girão. “Não vi nenhuma bobagem escrita lá, mas também não vi como votar. O site pode ser ótimo a iniciativa também, só não está claro como as coisas funcionam”. O jornalista apurou que o site foi idealizado pelo também jornalista croata Matija babic, ex-editor do outro site chamado Index. A reportagem tentou contato com os responsáveis pelo Taste Atlas pela conta deles no Instagram, mas não obteve resposta até o fechamento dessa edição.

A despeito dos critérios utilizados, Girão disse que o Canastra é um dos seus preferidos. Tem sabor de média intensidade, é ligeiramente picante e de boa qualidade. “É um queijo versátil, que pode ser harmonizado com várias bebidas. Eu já o harmonizei com café, vinho, cerveja, cachaça, drinques e até chá.

O que é preciso observar é o perfil de maturação e o sabor de cada queijo para escolhermos qual café, qual vinho e qual cerveja”, ensina.

 Só alegria

Qualidade e versatilidade foram, aliás, exatamente, os predicados usados pelo produtor de queijo e associado da Aprocan, João Carlos Leite, para justificar mais esse reconhecimento internacional. “Estou muito feliz com a novidade. Esse Canastra só me dá alegria. Não podemos negar a qualidade do produto que tornou-se mundialmente conhecido graças ao apoio da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (FAEMG), do Sebrae, da mídia e dos turistas que divulgam através do boca a boca”, disse.

Quem quiser conhecer mais sobre os queijos da Serra da Canastra, pode acessar o portal www.queijodacanastra.com.br onde consta a relação de todos os produtores, com contato telefônico ou e-mail. Higor Freitas lembrou que grande parte dos queijos dessa região vêm com um selo de caseína. Basta apontar o código contido nele para o leitor do site e ter informações de procedência, autenticidade, data de fabricação e modo de produção. O portal também traz uma relação de lojas na capital e interior onde se pode adquirir o queijo.

O Canastra, segundo o Taste Atlas: O Canastra é um queijo brasileiro feito de leite cru de vaca. É originário da região da Serra da Canastra no estado de Minas Gerais, daí o nome. O queijo cilíndrico é semi-duro ou ligeiramente macio, e seu sabor é levemente ácido e levemente picante.

Tradicionalmente, a Canastra amadurece por 21 dias, mas alguns produtores deixam amadurecer ainda mais, até 40 dias, quando seu sabor lembra o da Grana Padano. Antigamente, o queijo era feito para ocasiões especiais, como visitas da realeza e capitães.

Recomenda-se tomá-lo com vinho tinto, cerveja escura e pasta de goiaba. Em 2008, este queijo foi declarado Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido