Ouvindo...

Times

‘Salve Bob': vaquinha online busca tratamento para cachorro atropelado em BH

Bob teve a coluna fraturada, passou por cirurgia e agora precisa de fisioterapia; vizinhança procura meios de financiar tratamento

Moradores do bairro Santo André, em Belo Horizonte, lançaram uma campanha online no site Vakinha para financiar o tratamento do cachorro Bob, que foi atropelado na segunda-feira passada (30) enquanto brincava numa rua da região.

No atropelamento, Bob teve a coluna fraturada. Ele já passou por cirurgia e agora terá de fazer fisioterapia como parte do processo de recuperação. Os custos estimados são de R$ 7 mil. Quem tiver interesse em ajudar no tratamento pode doar em https://www.vakinha.com.br/3446401.

Bob é um cachorrinho que perambula pelas ruas do Santo André, muito querido especialmente pela vizinhança. Na segunda-feira (30), por volta das 18:30, ele estava na rua Espinosa e parecia querer brincar com quem passava pela calçada. Em dado momento, Bob foi atravessar a rua e acabou atingido em cheio por um carro, que o arremessou de volta para a calçada, já com a coluna fraturada e sentindo muita dor. O motorista abandonou o local sem prestar socorro.

Os ganidos de Bob foram ouvidos a vários quarteirões de distância e alertaram a vizinhança para ver o que tinha acontecido. Com a mobilização das pessoas, Bob foi encaminhado para a Clínica Padre Eustáquio, onde recebeu os primeiros socorros e foi constatada que a coluna havia sido fraturada e era necessária uma intervenção cirúrgica.

A cirurgia, realizada na manhã de quinta-feira (2), foi bem-sucedida, e agora Bob entra no processo de recuperação. Os custos da operação e dos primeiros socorros, que totalizaram R$ 6.761, foram obtidos através dos moradores da vizinhança e por doações de conhecidos por PIX. Mas agora é preciso levantar a quantia para os cuidados pós-operatórios e a recuperação de Bob.

Segundo os organizadores da Vakinha, os R$ 7.000 pretendidos na campanha online serão destinados a custear o período de internação pós-operatória, a fisioterapia e também os gastos com uma cadeirinha de rodas, pois a chance de Bob voltar a andar depois do atropelamento é muito pequena. A intenção é mantê-lo no hospital veterinário até que ele esteja 100% recuperado para retornar a um novo lar, sem voltar mais para a rua.

Jornalista, mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação pelo ISCTE-IUL (Lisboa), com passagens por TV Globo | SporTV, Jornal Hoje em Dia, Agência EFE (Espanha), BBC News Brasil (Inglaterra) e Sport TV (Portugal)
Leia mais