Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Caso Tio Paulo: motorista de app diz que idoso segurou a porta do carro na saída

Notícia foi repercutida em jornais internacionais em todo o mundo, como Estados Unidos, Argentina, Portugal e até Austrália; caso aconteceu em Bangu, no Rio de Janeiro

O motorista de aplicativo que levou Érika de Souza Vieira Nunes, de 42 anos e Paulo Roberto Braga, de 68, para sacar um empréstimo em um banco, na última terça-feira (16), prestou depoimento à polícia e disse que o idoso segurou a porta do carro, horas antes de chegar no banco.

O depoimento aconteceu nessa quarta-feira (17), na delegacia de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde o caso foi registrado. O motorista contou que ele teria entrado na casa dela - Érika - e ajudado a colocar Paulo Roberto dentro do carro carregado pelos braços. Segundo o motorista, o idoso já não conseguia andar.

Ele disse, também, que questionou Érika sobre como ela faria quando chegasse ao destino, já que a agência é localizada no calçadão de Bangu, com bastante movimentação de pessoas. Foi quando a ajudante disse que pegaria a cadeira de rodas para levar o idoso até a agência.

O motorista teria aguardado Érika de Souza por sete minutos até a ajudante retornar com a cadeira de rodas para idoso, foi neste momento em que ele ficou sozinho com Paulo. No desembarque, Paulo Roberto Braga teria segurado a porta do carro, segundo o motorista. Apesar disso, imagens de câmeras de segurança mostram que o idoso já chegou imóvel ao estacionamento do shopping próximo à agência bancária.

Causa da morte

A causa da morte de Paulo Roberto Braga, de 68 anos, segundo o documento do Instituo Médico Legal (IML), foi broncoaspiração do conteúdo estomacal e falência cardíaca. Segundo a conclusão do perito, “não há elementos seguros para afirmar, do ponto de vista técnico e científico, se o Sr. Paulo Roberto Braga faleceu no trajeto ou interior da agência bancária, ou que foi levado já cadáver à agência bancária”.

O caso aconteceu nessa terça-feira (dia 16), em Bangu, na Zona Oeste. Érika de Souza foi presa em flagrante e deve responder por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver, que significa tratar com desprezo e sem o devido respeito o cadáver. O delegado Fábio Luiz disse que não há indícios de assassinato, mas nenhuma linha de investigação está descartada.


Participe dos canais da Itatiaia:

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH), já trabalhou na Record TV e Rede Minas. Atualmente é repórter multimídia da Itatiaia. Comunicativa e ligada as redes sociais, entretenimento e cidades.
Leia mais