Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Representantes do agro vão à Dubai mostrar que não são os ‘vilões’ do clima

Presidente da Faemg e secretário de agricultura participaram de painéis na COP-28 onde mostraram o que tem sido feito para minimizar as emissões de carbono. Vice-governador ressaltou que o agro precisa participar das discussões para não ser surpreendido com ‘regras que não fazem sentido’.


WhatsApp Image 2023-12-05 at 14.46.48.jpeg

Apresentação de Antônio de Salvo que aconteceu durante o workshop Minas Day

Divulgação Sistema Faemg

Representantes do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seapa) e a Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg) reuniram iniciativas que têm protagonizado para contribuir com a redução dos gases de efeito estufa para apresentar no maior evento mundial sobre clima, a COP-28, em Dubai, nos Emirados Árabes.

O Sistema Faemg deu seu ‘recado’ apresentando os resultados do Projeto FIP Paisagens Rurais, iniciativa financiada com recursos do Programa de Investimento Florestal (FIP) e que atua em sete estados no Brasil no Bioma Cerrado. Cerca de 50% dele acontece em Minas Gerais, em 15 municípios da Bacia do Rio Tijuco, no Triângulo Mineiro. O objetivo é fortalecer a adoção de práticas de conservação e recuperação ambientais, bem como atividades agrícolas sustentáveis de baixa emissão de carbono.

O presidente do Sistema Faemg, Antônio de Salvo, disse que a apresentação faz parte da estratégia de disseminar ao mundo o que a agropecuária mineira e brasileira têm feito em benefício do meio ambiente e como a atividade produtiva pode contribuir com a solução para as questões climáticas mundiais.

A apresentação aconteceu durante o workshop Minas Day, quando o Governo de Minas e o setor produtivo lançaram o portfólio “Casos de Sucesso”, que reúne 57 exemplos mineiros de enfrentamento à crise do clima, e a calculadora MRV Climático, que gerencia resultados e impactos das ações implementadas.

Números de Atendimentos

O FIP Paisagens já atendeu mais de 2.700 produtores rurais no estado. Durante dois anos, os produtores recebem assistência técnica e gerencial e orientações para a recuperação de pastagens degradadas, Áreas de Preservação Permanente e Reserva Legal, por meio da visita mensal de um técnico de campo. Mais de 27 mil hectares de áreas degradadas foram recuperados com agricultura de baixa emissão de carbono e mais de 7 mil hectares receberam ações de conservação e restauração ambiental.

O projeto realizou o treinamento de nascentes na minha propriedade. Aquela nascente que praticamente não minava água, depois da recuperação, tem chegado a 20 mil litros de água por dia”, contou o produtor rural de bovinocultura de leite Wagner Marzinoto dos Santos, de Itapagipe.

“Não somos culpados’

Segundo Antônio de Salvo, é necessário discutir cada vez mais sobre o papel e a importância dos produtores rurais, mostrando que a agricultura e a pecuária não são os vilões do meio ambiente. Na avaliação dele, pelo contrário, “a agricultura e a pecuária representam solução para grande parte dos problemas que estão sendo discutidos”.

“Viemos à COP mostrar o que Minas tem feito na agricultura para contribuir com a melhoria ambiental do mundo. Sabemos que a agricultura e a pecuária vão estar presentes em todas as discussões climáticas, mas não somos os culpados. Vamos continuar atuando juntos com o Governo e a indústria para que a gente continue avançando e produzindo com sustentabilidade,” destacou.

‘Regras que não fazem sentido’

O vice-governador de Minas Gerais, Professor Mateus, acrescentou que, sem a agricultura e sem a indústria, não é possível cumprir as metas de redução das emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE). “Fico muito feliz de ver que, em Minas, tanto agricultura quanto indústria têm consciência da importância que é estar aqui neste evento, pois se a gente fica de fora das discussões, apenas ouvindo sem oportunidade de falar, poderemos ser surpreendidos por regras que não fazem sentido e não vão nos levar na direção que queremos”, disse.

(*) Com informações do Sistema Faemg

Siga o canal da Itatiaia no WhatsApp: https://whatsapp.com/channel/0029Va5comADp2QA0xVtNN04

Maria Teresa Leal é jornalista, pós-graduada em Gestão Estratégica da Comunicação pela PUC Minas. Trabalhou nos jornais ‘Hoje em Dia’ e ‘O Tempo’ e foi analista de comunicação na Federação da Agricultura e Pecuária de MG.



Leia mais