Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Inflamações do intestino: conheça as doenças inflamatórias intestinais e saiba como evitar

Maio recebe a campanha Maio Roxo, que tem como objetivo alertar a população para as doenças inflamatórias intestinais

O mês de maio recebe a campanha Maio Roxo que tem como objetivo alertar a população para as doenças inflamatórias intestinais que podem atingir da boca ao ânus. De acordo com a Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP), no mundo são mais de 5 milhões de pessoas afetadas pelas doenças inflamatórias intestinais. No Brasil, a prevalência das inflamações no intestino aumentou 15% de 2012 a 2020, de acordo com estudo desenvolvido pela Universidade Católica do Paraná.

De acordo com o médico coloproctologista, Bruno Giusti Werneck, os dois tipos mais conhecidos das doenças inflamatórias intestinais são a Retocolite Ulcerativa e a Doença de Chron. Cada uma delas tem manifestações e evoluções específicas.

Leia também

Sintomas

O médico explica que os sintomas da Doença de Chron, vai variar de acordo com o local acometido, pois a doença pode acometer desde a boca até o ânus. “A doença de acometimento intestinal tem como sintomas diarreia, emagrecimento, dor abdominal, pus ou catarro nas fezes e, quando há de acometimento do ânus, pode causar dor, sangramento, formação de abscessos e feridas. Já a Retocolite Ulcerativa tem acometimento mais do intestino grosso, com isso seus sintomas são predominantemente diarreia, com muitas evacuações em pequena quantidade durante o dia, associadas a catarro, pus e sangue nas fezes. Esse sangue e esse catarro têm a ver com as feridas que vão aparecendo na parede do intestino”, detalha.

De acordo com o proctologista, não existe cura para as doenças inflamatórias do intestino, mas tem como controlá-las. Um passo importante é identificá-las precocemente, porque o diagnóstico é mais complicado devido a cada paciente evoluir de uma maneira diferente e, os sintomas das doenças inflamatórias intestinais se misturam com os sintomas de outras doenças.

Tratamento

O especialista destaca que, cada paciente deve ser avaliado individualmente para a detecção precoce dessas doenças e, iniciar o tratamento adequado. “Esse tratamento vai envolver o uso de medicações específicas que vão variar desde o uso de corticoides, antibióticos, ao de medicações imunossupressoras que diminuem a atividade inflamatória da doença, que podem ser dadas por via oral ou por via injetável. Alguns pacientes podem necessitar de cirurgia”, relata Bruno Giusti Werneck, coloproctologista.

Prevenção

Os hábitos saudáveis de vida podem ajudar a evitar o aparecimento das doenças inflamatórias intestinais. Hidratação adequada, alimentação equilibrada evitando alimentos ultraprocessados, consumir sempre alimentos naturais com bastante fibra, e a realização de atividade física vão contribuir para a saúde do intestino.


Participe dos canais da Itatiaia:

Jornalista formada pelo Uni-BH, em 2010. Começou no Departamento de Esportes. No Jornalismo passou pela produção, reportagem e hoje faz a coordenação de jornalismo da rádio Itatiaia.
Leia mais