Ouvindo...

Times

Julian Assange: quem é o homem que vazou mais de 700 mil documentos dos EUA e o que é WikiLeaks?

Australiano criou o site em 2006 e ficou conhecido por vazar arquivos confidenciais e militares norte-americanos; ele pode ser solto nesta quarta-feira (26), nas Ilhas Marianas do Norte

Acusado de vazar mais de 700 mil documentos confidenciais americanos, Julian Assange, de 52 anos, chegou a um acordo com os Estados Unidos que o tirou da prisão. O fundador do WikiLeaks deixou a prisão nessa segunda-feira (24).

O homem chegou a ficar por sete anos em um asilado na Embaixada do Equador em Londres, antes de ser preso. Agora, o australiano, de 52 anos, “será um homem livre depois que o acordo for ratificado pelo juiz”, o que acontecerá nesta quarta-feira (26).

Assange estava em uma prisão de segurança máxima, a Belmarsh, em Londres e pegou um avião, sendo o mesmo usado por Taylor Swift, quando atravessou o Oceano Pacífico com a aeronave para ver seu namorado jogar o Super Bowl, no início do ano. Segundo o WikiLeaks, um juiz das Ilhas Marianas, arquipélago na Micronésia de 50 mil habitantes, deve ratificar o acordo nessa quarta-feira (26).

“Julian Assange está livre. Isso é o resultado de uma campanha global que abrangeu organizadores de base, defensores da liberdade de imprensa, legisladores e líderes de todo o espectro político, chegando até as Nações Unidas”, afirmou o WikiLeaks em comunicado no X (antigo Twitter).

O comunicado do WikiLeaks disse ainda que Assange passou mais de cinco anos em uma cela de 2x3 metros e isolado 23 horas por dia. Agora, ele se reunirá com sua esposa Stella Assange e seus filhos.

Mas afinal de contas, quem é Julian Assange?

Julian Paul Assange é um ativista australiano, programador de computador, jornalista e fundador do site WikiLeaks. Ele nasceu em 3 de julho de 1971 na Austrália e hoje tem 52 anos. Em 1995, aconteceu seu primeiro problema judicial, quando ele foi acusado por um tribunal australiano de cometer crimes cibernéticos.

O site WikiLeaks surgiu em 2006 como uma ferramenta digital onde documentos secretos pudessem ser vazados. A técnica usada é conhecida como “dead letter box”, que é um método de espionagem. O grupo era composto por ativistas, que recebiam materiais sigilosos.

Já em 2010, após ser conhecido, o site WikiLeaks vazou um vídeo sigiloso que mostrava um ataque de helicóptero dos Estados Unidos no Iraque. O ataque em questão aconteceu em 2007 e 12 pessoas morreram. Ainda no mesmo ano, a rede divulgou cerca de 490 mil documentos militares dos Estados Unidos sobre as guerras no Iraque e Afeganistão. Os arquivos eram considerados como classificados, ou até mesmo secretos.

Entre os vazamentos estavam vídeos que exibiam assassinatos de civis, jornalistas, além de abusos cometidos por autoridades dos EUA e outros países. Com o sucesso do grupo, Assange deixou de ter endereço fixo e passou a administrar a plataforma de lugares diferentes.

Também em 2010, quando o WikiLeaks atingiu o pico de popularidade com os vazamentos, a Suécia exigiu a prisão de Assange sob a acusação de estupro de uma mulher durante uma visita a Estocolmo para participar em uma conferência. A acusação foi posteriormente retirada. Assange negou a veracidade da acusação, mas em maio de 2012 um tribunal de Londres concordou com sua extradição para a Suécia.

Pouco depois, em junho de 2012, para evitar a extradição, o homem refugiou-se na embaixada do Equador em Londres, onde permaneceu por sete anos, durante o governo de Rafael Correa.

Com a chegada de Lenín Moreno ao poder no Equador, o país deixou de conceder asilo ao australiano e ele foi detido em abril de 2019 pela polícia britânica e levado para a penitenciária de segurança máxima de Belmarsh, no sudeste de Londres.

O que é o WikiLeaks?

O site WikiLeaks surgiu em 2006 como uma ferramenta digital onde documentos secretos pudessem ser vazados. Na descrição, a organização sem fins lucrativos descreve: “O WikiLeaks é especializado na análise e publicação de grandes conjuntos de dados de materiais oficiais censurados ou de outra forma restritos, envolvendo guerra, espionagem e corrupção. Até agora, publicou mais de 10 milhões de documentos e análises associadas”.

A técnica usada é conhecida como “dead letter box”, que é um método de espionagem.

O site WikiLeaks surgiu em 2006 como uma ferramenta digital onde documentos secretos pudessem ser vazados. A técnica usada é conhecida como “dead letter box”, que é um método de espionagem. O grupo era composto por ativistas, que recebiam materiais sigilosos. Ainda em 2010, a rede divulgou cerca de 490 mil documentos militares dos Estados Unidos sobre as guerras no Iraque e Afeganistão. Os arquivos eram considerados como classificados, ou até mesmo secretos.

Sua esposa, Stella, revelou em 2020 que teve dois filhos com Assange enquanto ele morava na embaixada do Equador e ela integrava a equipe jurídica que trabalhava para ele.

“A prioridade agora é que Julian recupere sua saúde”, declarou nesta terça-feira (25) à BBC.

“Ele está em péssimo estado e deseja ter contato com a natureza. É isso que ambos queremos agora, ter tempo e privacidade, e simplesmente começar este novo capítulo”, concluiu a advogada de 40 anos, que nasceu na África do Sul.

Quando será a audiência de Julian Assange?

A audiência será nas Ilhas Marianas do Norte, arquipélago na Micronésia de 50 mil habitantes, nessa quarta-feira (26). Perseguido pelas autoridades norte-americanas por ter divulgado centenas de milhares de documentos confidenciais, o australiano deve comparecer a um tribunal federal às 09h (20h no horário de Brasília).

Segundo a Justiça americana, a audiência será feita nas Ilhas Marianas do Norte por conta da proximidade das ilhas com a Austrália, país de Assange, e porque ele não quis viajar aos EUA. A audiência pode ser realizada lá porque os americanos têm um Tribunal Distrital nas Ilhas Marianas, que são um “estado livremente associado” aos EUA.

Julian pode ser condenado à prisão ou pode ser solto?

Sim, de acordo com a Justiça americana, na audiência o fundador do WikiLeaks deve ser sentenciado a 62 meses de prisão, mas por ter cumprido um tempo similar de prisão preventiva no Reino Unido ele deve retornar em liberdade para a Austrália.

Sua esposa, Stella Assange, expressou “imensa gratidão” aos que se mobilizaram por anos para conseguir transformar sua liberdade em “realidade”. Assange “será um homem livre depois que o acordo for ratificado pelo juiz” na quarta-feira, explicou à BBC sua esposa e mãe de seus dois filhos.

O acordo implica que seu marido se declare culpado de uma única acusação, que “diz respeito à obtenção e divulgação de informações sobre a defesa nacional”, explicou. Stella Assange revelou à agência britânica Press Association que seu marido pagou uma multa de 500.000 dólares pelo voo que o transporta de Londres para a Austrália.

Leia também


Participe dos canais da Itatiaia:

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH), já trabalhou na Record TV e na Rede Minas. Atualmente é repórter multimídia e apresenta o ‘Tá Sabendo’ no Instagram da Itatiaia.
Leia mais