Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Pleno do STJD mantém arquivamento de pedido do Botafogo e critica John Textor

Auditor Julgador do STJD afirma que pedido do clube para investigar arbitragem do Brasileirão é ‘tentativa de desvio de atenção do desempenho pífio’

Em decisão publicada nesta quinta (22), o Pleno do Superior Tribunal de Justiça (STJD) manteve a decisão do Tribunal pelo arquivamento do pedido do Botafogo em relação às decisões da arbitragem no Campeonato Brasileiro de 2023. Auditor Julgador do Pleno, Mauro Marcelo de Lima e Silva ainda fez críticas à movimentação jurídica de John Textor, proprietário da SAF alvinegra.

“Essa movimentação jurídica do dono do Botafogo mais me parece o brocado de falso latinismo o famoso “Jus Esperniandi”, utilizando de artifícios, como alegações infundadas de manipulação de resultados, para tentar desviar a atenção do pífio desempenho de sua equipe na fase final do campeonato”, argumentou em seu voto.

“Ao invés de lidar com os desafios internos do seu time, como estratégias de jogo, treinamento dos jogadores e gestão da equipe, ele estaria tentando manipular o sistema para desviar a atenção dos reais problemas. Diante dos fatos e considerando cuidadosamente todos os elementos e fundamentos legais apresentados, nego provimento à Garantia Pleiteada, mantendo a decisão de arquivamento decidida pelo Pleno desta Corte em 07 de dezembro passado”, concluiu Mauro Marcelo de Lima e Silva.

Líder do Brasileirão por 31 rodadas, o Botafogo não conquistou o título e terminou a Série A em quinto lugar, com uma sequência de 11 rodadas sem vitórias. Neste cenário, John Textor fez uma série de críticas à arbitragem. Inclusive, apresentou um pedido de investigação por “condutas comissivas e omissivas” dos árbitros em jogos do torneio.

O pedido foi arquivado pelo STJD no dia 7 de dezembro de 2023 - relembre clicando aqui. Esta foi a decisão mantida por Mauro Marcelo de Lima e Silva nesta semana.

Leia também

Vale destacar que John Textor incluiu, no pedido, o relatório produzido pela empresa Good! Game, empresa francesa contratada pelo empresário norte-americano. Textor, posteriormente, publicou parte dos relatórios produzidos pela auditoria. Confira clicando aqui.

“Acredito que a integridade do Brasileirão 2023 foi corrompida por repletos erros e abuso no processo. Também acredito que possamos demonstrar convincentemente que as decisões incorretas de arbitragem resultaram na redução de pontos do Botafogo (e de outros) e na adição de pontos em rivais diretos”, escreveu John Textor.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista e correspondente da Itatiaia no Rio de Janeiro. Apaixonado por esportes, pela arquibancada e contra torcida única.
Leia mais