Ouvindo...

Times

Brasil projeta receber Mundial de Clubes Feminino como evento-teste para Copa-2027

Nova competição terá primeira edição em 2026, com 16 participantes; na madrugada desta sexta-feira (17), Brasil ganhou direito de ser sede do torneio de Seleções

Após ser eleita sede da Copa do Mundo Feminina de 2027, em eleição realizada durante o Congresso da Fifa, na Tailândia, na madrugada desta sexta-feira (17), a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) projeta trazer para o Brasil a primeira edição do Mundial de Clubes Feminino, em 2026.

A ideia é apresentar um projeto para que o torneio de clubes seja um evento-teste para a Copa de Seleções, sendo realizado nos mesmos estádios, centros de treinamento e com os participantes utilizando as acomodações sugeridas para a competição principal. A direção da Fifa anunciou na quarta-feira (15) a criação do Mundial Feminino, que estreará entre janeiro e fevereiro de 2026, um ano e meio antes da Copa.

A Fifa, apurou a Itatiaia, ainda não tem definido como será escolhida a sede desse Mundial Feminino de Clubeso. No masculino, que terá uma edição turbinada com 32 participantes em 2025, o país escolhido foi os EUA, que um ano depois receberá a Copa do Mundo, junto com Canadá e México, Será um evento-teste, portanto.

É possível que o Brasil, caso queira mesmo o campeonato de clubes entre as mulheres, tenha que participar de uma concorrência, como ocorreu agora na Copa do Mundo. O país venceu uma candidatura conjunta europeia formada por Alemanha, Bélgica e Holanda.

O Mundial Feminino

O torneio contará com a participação de 16 equipes e será realizado a cada quatro anos. A entidade ainda definirá detalhes como local para a edição inédita, formato do torneio e distribuição de vagas entre os continentes. Segundo informações do portal GE, a Conmebol quer pelo menos quatro times sul-americanos garantidos.

O Mundial de Clubes Feminino faz parte dos planos do Presidente da Fifa, Gianni Infantino. O dirigente revelou em maio de 2021 que planejava criar a competição com o intuito de revolucionar e incentivar a modalidade.

Em reunião do Conselho da Fifa, realizada antes da abertura do 74º Congresso da entidade, em Bangkok, na Tailândia, foi anunciado também a criação de mais uma competição feminina. A intenção é que este novo torneio seja realizado anualmente. Demais informações ainda serão anunciadas.

“Para facilitar o desenvolvimento global contínuo dos clubes femininos e com base nos pedidos das confederações para fornecer amplas oportunidades de jogo anualmente, foi ainda proposto que uma competição adicional de clubes femininos da Fifa fosse organizada em anos não pertencentes ao Mundial de Clubes feminino da Fifa, a partir de 2027”, revelou a entidade em comunicado.

O estádios propostos para a Copa de 2027

  • Mineirão (Belo Horizonte)
  • Beira-Rio (Porto Alegre)
  • Mané Garrincha (Brasília)
  • Arena Pantanal (Cuiabá)
  • Arena da Amazônia (Manaus)
  • Arena Fonte Nova (Salvador)
  • Arena de Pernambuco (Recife)
  • Arena Castelão (Fortaleza)
  • Maracanã (Rio)
  • Neo Química Arena (São Paulo)

Todos foram usados na Copa do Mundo Masculina de 2014 e este foi um dos principais argumentos da candidatura brasileira durante o processo de escolha, o fato de não precisar gastar dinheiro na construção de novos equipamentos. Mas a vitória não significa que essas arenas que estavam no projeto serão de fato aquelas usadas no Mundial.

Podem haver mudanças nos próximos meses, a depender de novas vistorias da Fifa. É, no final das contas, a entidade quem decidirá. A Arena Pantanal, em Cuiabá, por exemplo, recebeu nota baixa dos avaliadores. A capital do Mato Grosso também foi mal avaliada em quesitos como local para a Fan Fest e acomodações, para delegações e torcedores.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Ana Luiza Pereira é jornalista em formação pela PUC Minas. Com passagens por TV Horizonte, Rádio Inconfidência e Rede Minas, dedica-se à cobertura esportiva e integra o time do Itatiaia Esporte.
Leia mais