Ouvindo...

Times

PELÉ É ETERNO: MORRE EDSON ARANTES DO NASCIMENTO

Desde 2021, Pelé passava por sessões de quimioterapia para tratar tumores no intestino, fígado e pulmão. Ele também passou por cirurgia para retirada de um tumor no cólon

Pelé é Eterno. Edson Arantes do Nascimento, o maior jogador de futebol da história, morreu nesta quinta-feira (29) aos 82 anos em São Paulo. Internado no Hospital Albert Einstein havia 30 dias, o Atleta do Século teve complicações em decorrência de longo tratamento contra o câncer.

Desde 2021, Pelé passava por sessões de quimioterapia para tratar tumores no intestino, fígado e pulmão. Ele também passou por cirurgia para retirada de um tumor no cólon.

Pelé estava internado desde 29 de novembro para reavaliar o tratamento por quimioterapia. O quadro se tornou mais agudo, e o último boletim do Einstein explicava que “Edson Arantes do Nascimento apresenta progressão da doença oncológica e requer maiores cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca”. O comunicado era assinado pelos médicos Fabio Nasri, geriatra e endocrinologista, Rene Gansl, oncologista, e Miguel Cendoroglo Neto, diretor-superintendente.

Rei do futebol

O filme biografia “Pelé Eterno”, lançado em 2004, resume no título o que significa Edson Arantes do Nascimento não apenas no universo do futebol, mas na história da humanidade. O Atleta do Século 20 é uma das maiores marcas de todos os tempos e o 29 de dezembro de 2022 está longe de significar o fim de uma trajetória, pois Pelé é eterno.

Ninguém definiu melhor Pelé, mineiro de Três Corações, onde nasceu em 23 de outubro de 1940, que Zito, um de seus grandes parceiros de Santos e Seleção Brasileira: “perfeição não existe, mas quem chegou mais perto dela foi Pelé”.

A proximidade da perfeição foi definida por Thomaz Mazzoni, que afirmou ser Pelé “a síntese dos grandes craques brasileiros desde Friedenreich. Velocidade, impulsão, reflexo, antevisão da jogada, habilidade, conclusão, coragem, determinação”.

Foram quase 20 anos de carreira como jogador de futebol, numa trajetória em que vestiu apenas as camisas do Santos, Seleção Brasileira e Cosmos, dos Estados Unidos. São 1.282 gols em 1.375 partidas.

Com a camisa santista, foram dez títulos paulistas, seis brasileiros, dois da Libertadores e dois mundiais. Pela Seleção, são três Copas do Mundo (1958, 1962 e 1970) das quatro que ele disputou, algo inédito na história do futebol.

Aliás, história é o que não falta na linha do tempo mais vitoriosa e impressionante do futebol mundial.

Momentos históricos de Pelé no futebol:
  • Agosto/1956

Pelé chega ao Santos levado por Valdemar de Brito, craque da Seleção na Copa de 1934, na Itália, como revelação do Bauru Atlético Clube.

  • 7/9/1956

Faz sua estreia pelo Santos num amistoso contra o Corinthians, de Santo André, vencido pelo Peixe por 7 a 1, com o sexto gol sendo marcado por ele.

  • 7/7/1957

Estreia pela Seleção em 7 de julho, no Maracanã, com derrota de 2 a 1 para a Argentina, pela Copa Roca. Marca o gol brasileiro.

  • 10/7/1957

Ganha o primeiro título oficial, a Copa Roca, com a vitória por 2 a 0 sobre a Argentina, no Pacaembu.

  • 15/6/1958

Estreia na Copa do Mundo em Gotemburgo, na Suécia, com vitória por 2 a 0 sobre a União Soviética.

  • 29/6/1958

É campeão do mundo com 17 anos. Na decisão da Copa, contra a Suécia, marca dois gols.

  • 20/7/1958

Disputa seu 100º jogo pelo Santos e marca o 95º gol na vitória por 2 a 0 sobre o Juventus.

  • 14/12/1958

Com a goleada de 7 a 1 sobre o Guarani conquista seu primeiro título pelo Santos, o Campeonato Paulista. Ele foi artilheiro da competição com 58 gols em 38 jogos, média de 1,52.

  • 17/5/1959

Conquista o Torneio Rio-São Paulo com a goleada de 3 a 0 sobre o Vasco, no Maracanã. Marca um gol.

  • 2/8/1959

Marca na vitória de 4 a 2 sobre o Juventus, na Rua Javari, aquele que é considerado o gol mais bonito da sua carreira, numa jogada em que aplica quatro chapéus em adversários.

  • 21/8/1959

Disputa o primeiro jogo como militar. Na goleada de 9 a 0 do time do 6º Grupamento de Artilharia Motorizada de Santos sobre o Docas marca três gols.

  • 14/2/1960

Conquista por São Paulo o Campeonato Brasileiro de Seleções com a vitória por 2 a 1 sobre o Rio de Janeiro.

  • 27/12/1961

Inicia a série do pentacampeonato da Taça Brasil conquistando o título de 1961. O título é garantido com o 5 a 1 sobre o Bahia, com ele fazendo um hat-trick.

  • 2/6/1962

No empate sem gols com a Tchecoslováquia, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa de 1962, sofre lesão muscular que o tira do Mundial do Chile. Conquista o bi sem jogar a reta final do torneio.

  • 30/8/1962

Conquista a sua primeira Copa Libertadores com a goleada de 3 a 0 sobre o Peñarol, do Uruguai, em Buenos Aires, no jogo desempate. Marca os dois últimos gols. No ano seguinte, chega ao bi.

  • 11/10/1962

Ganha o Mundial de Clubes com os 5 a 2 sobre o Benfica, de Portugal, em Lisboa. No ano seguinte, o Santos repete a dose, sobre o Milan, da Itália, mas sem Pelé em campo no jogo decisivo.

  • 4/2/1969

Numa excursão pela África, Pelé para uma Guerra Civil no Congo Belga (atual República Democrática do Congo) para jogar contra uma seleção local que foi derrotada por 2 a 1.

  • 31/8/1969

Marca sobre o Paraguai, no Maracanã, o gol da classificação do Brasil para a Copa do Mundo do México.

  • 19/11/1969

Na vitória de 2 a 1 sobre o Vasco, pela Taça de Prata, marca o seu milésimo gol.

  • 26/4/1970

Pela única vez na carreira fica na reserva, no empate sem gols do Brasil com a Bulgária, no Maracanã.

  • 21/6/1970

Com a goleada de 4 a 1 sobre a Itália, aberta com um gol seu, conquista o tricampeonato mundial com a Seleção.

  • 11/7/1971

Marca seu último gol pela Seleção Brasileira no empate por 1 a 1 com a Áustria, no Morumbi.

  • 18/7/1971

Pela última vez veste a camisa da Seleção Brasileira no empate por 2 a 2 com a Iugoslávia, no Maracanã.

  • 2/10/1974

Se despede do Santos na Vila Belmiro, na vitória por 2 a 0 sobre a Ponte Preta, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista.

  • 15/7/1975

Faz sua estreia pelo Cosmos, dos Estados Unidos, no empate por 2 a 2 com o Dallas Tornado. Marca um gol.

  • 1/10/1977

Encerra sua carreira profissional com o amistoso em que o Cosmos vence o Santos por 2 a 1, nos Estados Unidos. Ele joga pelos dois lados.

  • 22/4/1978

Joga pelo Fluminense um amistoso contra a Nigéria. Depois, no dia 26 de abril, ainda pelo tricolor carioca, encara o Racca Rovers, da Nigéria.

  • 6/4/1979

Veste a camisa do Flamengo na goleada de 5 a 1 sobre o Atlético, no Maracanã, em amistoso com renda para as vítimas das enchentes daquele ano no Sudeste.

  • 24/9/1980

Defende o Cosmos em jogo festivo contra o time de estrelas da Liga dos Estados Unidos.

  • 9/5/1984

Participa de amistoso entre ex-jogadores do Cosmos contra o time da época, que vence por 6 a 2.

  • 4/1/1987

Joga pela Seleção Brasileira de Seniors que vence a seleção italiana de seniors por 3 a 0.

  • 31/10/1990

Em comemoração aos seus 50 anos, participa de jogo da Seleção Brasileira contra um combinado formado por seus amigos.

Alexandre Simões é coordenador do Departamento de Esportes da Itatiaia e uma enciclopédia viva do futebol brasileiro
Leia mais