Ouvindo...

Times

Mayra Aguiar vence chinesa na final e é campeã mundial de judô pela terceira vez

Brasileira foi medalhista de bronze três vezes em Jogos Olímpicos

A judoca Mayra Aguiar se sagrou tricampeã mundial nesta terça-feira (11), em Tashkent, no Uzbequistão. A brasileira obteve o feito inédito na história do judô brasileiro ao garantir mais uma medalha de ouro na categoria até 78 kg, desta vez na final contra a chinesa Zhenzao Ma, a quem venceu por waza-ari.

Mayra se tornou a primeira brasileira da modalidade a vencer três Mundiais. Antes, havia faturado o título em Cheliabinsk, em 2014, e em Budapeste, três anos depois. Aos 31 anos, a atleta faz história e coloca seu nome como uma das maiores judocas do Brasil.

O ouro marca sua sétima medalha individual em Mundiais. Ela soma também uma prata e três bronzes. Em 2013, participou da conquista da prata por equipes. A judoca é dona ainda de três medalhas de bronze em Jogos Olímpicos. Em Tóquio, no ano passado, faturou seu último pódio, como fizera no Rio-2016 e em Londres-2012.

Na final, Mayra foi para cima da chinesa e obteve um waza-ari logo nos primeiros segundos da luta. O golpe foi tão certeiro que a judoca pensou ter aplicado um ippon. A empolgação, contudo, não atrapalhou a brasileira, que sustentou a boa vantagem até o fim, mesmo após duas punições por falta de combatividade para cada finalista.

A brasileira chegou à final embalada por grandes vitórias. Na luta de abertura, superou a croata Petrunjela Pavic por punições Na sequência, já pelas oitavas de final, a brasileira brilhou com um ippon sobre a casaque Aruna Jangeldina. Nas quartas, ela enfrentou seu maior desafio e não decepcionou. Derrubou a japonesa Saori Hamada, atual campeã olímpica, por ippon.

A judoca brasileira, atual número seis do mundo, ainda contou com uma ajuda da sorte. Do outro lado da chave, alemã Ana Maria Wagner, sua algoz nos Jogos Olímpicos de Tóquio e atual campeã mundial, foi eliminada nas quartas de final pela compatriota Alina Böhm. Na semifinal, Mayra superou a rival alemã, atual campeã europeia, com um waza-ari.

As medalhas de bronze ficaram com a ucraniana Yelyzaveta Lytvynenko, de apenas 18 anos, e a polonesa Beata Pacut-Kloczko. A jovem judoca obteve um ippon rápido e fulminante sobre Shori Hamada. E a polonesa desbancou Alina Böhm.

MASCULINO

O brasileiro Rafael Buzacarini, 12º do ranking mundial, teve trajetória curta no Mundial. Ele venceu o casaque Islam Bozbayev por punições em sua estreia na categoria até 100kg. Mas foi eliminado logo em seguida nas oitavas de final pelo holandês Michael Korrel, atual número dois do mundo, com um waza-ari.

Apesar da eliminação precoce de Buzacarini, o Brasil soma três medalhas no Mundial de Tashkent até agora. Antes de Mayra, Rafaela Silva faturou o ouro no sábado, mesmo dia em que Daniel Cargnin levou o bronze no masculino. O Mundial será encerrado na quinta-feira.

Acompanhe as últimas notícias produzidas pelo Estadão Conteúdo, publicadas na Itatiaia.
Leia mais