Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Rodrigo Santoro dá voz a tartaruga com TOC em animação

O ator revela afinidade com esse tipo de trabalho e aborda sua conexão contínua com produções brasileiras

rodrigo-santoro-tartaruga.jpg

Rodrigo Santoro dá voz a tartaruga com TOC

Reprodução | Redes sociais | YouTube

A mais recente incursão de Rodrigo Santoro no mundo da dublagem, em “Bizarros Peixes das Fossas Abissais”, deixa o público imerso em uma narrativa animada que desafia convenções cinematográficas e senso comum. O filme, dirigido por Marão, oferece uma experiência única, misturando loucura, inovação e um toque de familiaridade através da voz do renomado ator brasileiro.

Santoro, que já emprestou sua voz a diversas animações, revela sua afinidade com esse tipo de trabalho, destacando a singularidade de usar apenas a voz para humanizar personagens. Ao abordar sua conexão contínua com produções brasileiras, mesmo com uma carreira internacional consolidada, o ator destaca que nunca abandonou o mercado brasileiro. Projetos como “Bom Dia, Verônica” e “O Outro Lado do Céu” refletem seu compromisso contínuo com a cena cinematográfica nacional.

“O Brasil ainda faz parte da minha estrada, e o que guia minhas escolhas é a relação com os projetos”, afirma Santoro. Ele ressalta a diferença entre interpretar em português e inglês, destacando a autenticidade das histórias brasileiras como fator motivador.

Leia Também

Coragem artística do filme

“Bizarros Peixes das Fossas Abissais” revela-se uma história brasileira fora do comum. Logo nos primeiros minutos, a protagonista proclama: “Minha bunda é um gorila”. O filme segue com uma trama que envolve uma mulher transmorfa, uma tartaruga com transtorno obsessivo compulsivo e uma nuvem com vergonha de chover, todos em busca de fragmentos de um objeto antigo que pode auxiliar o avô da protagonista.

Natália Lage, a dubladora da personagem principal, destaca a coragem artística do filme em romper com as normas preestabelecidas, oferecendo uma narrativa permeada por uma linha dramática humana e verdadeira. A atriz enfatiza a liberdade criativa e a diversão que a história proporciona.

Apesar de sua narrativa fora do convencional, o filme não é incompreensível. Apresenta um enredo linear, com um desfecho revelador no final. A participação de Guilherme Briggs, dublador veterano de franquias como Toy Story e Transformers, como a voz da nuvem, também é destacada como um elemento crucial para o projeto.

“Bizarros Peixes” oferece uma experiência autoral conduzida por Marão, que busca um estilo visual imperfeito para ressaltar a presença do criador por trás dos traços. O cineasta expressa o desejo de passar mais tempo com suas criações e evitar restrições, resultando em uma história simples que permite improvisações e inspirações pessoais.

A animação nacional ganha um novo fôlego com essa obra, demonstrando a capacidade de contar histórias surpreendentes e inovadoras. Guilherme Briggs enfatiza a versatilidade da animação brasileira, que permite explorar qualquer época e narrar qualquer história, tudo impulsionado pela imaginação. “Bizarros Peixes das Fossas Abissais” mergulha os espectadores em um universo vibrante e ousado, reafirmando a criatividade inexplorada do cinema de animação brasileiro.

* Com informações de Estadão

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Natasha Werneck é jornalista formada pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH). Foi repórter de Política e Cultura do Jornal Estado de Minas e já atuou em portais como Hugo Gloss e POPline. Foi estagiária da Itatiaia e retornou à empresa em 2023, como repórter de Entretenimento.
Leia mais