Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Advogado deixa defesa de Daniel Alves às vésperas de julgamento, diz TV

Imprensa espanhola afirma que Cristóval Martell deixou o caso por considerar que o jogador será condenado

O jogador brasileiro Daniel Alves trocou de advogado de defesa às vésperas de julgamento na Espanha por agressão sexual contra uma jovem em Barcelona. De acordo com a TV “Antena 3", o experiente Cristóval Martell chegou a um acordo para não fazer mais parte do caso por considerar que Daniel será condenado.

Outros veículos espanhóis também apontam a saída de Martell como certa. O Jornal As publicou, ainda, que o brasileiro terá como defensora a “jovem, especialista em direito prisional”, Inés Guardiola Sánchez, de 35 anos.

Cristóbal Martell é um advogado renomado na justiça espanhola e já trabalhou inclusive com Lionel Messi, atuando na defesa do argentino quando acusado de fraude fiscal. O profissional também defendeu o brasileiro Neymar e alguns dirigentes do Barcelona, que foram acusados de crimes fiscais à época da transferência do jogador ao clube espanhol.

Ainda segundo a TV “Antena 3", o advogado não quis prejudicar o próprio histórico com uma iminente condenação de Daniel Alves. Além de deixar o caso, Martell também teria saído do escritório de advocacia pelo qual trabalhava.

Em meio ao processo, a esposa do jogador, Joana Sanz, decidiu interromper o processo de divórcio que estava em curso.

Daniel está preso em Barcelona desde janeiro deste ano e deve ser julgado ente este mês de outubro e novembro. As investigações se encerraram em julho e ele segue detido enquanto aguarda julgamento. O lateral teve três pedidos de liberdade negados.

Se condenado, além de cumprir pena, Daniel Alves terá que pagar 150 mil euros (R$ 783 mil) para a vítima, por conta de danos morais e psicológicos.

Caso Daniel Alves

Daniel Alves é acusado de abusar sexualmente de uma mulher na casa noturna Sutton, em Barcelona, na Espanha. O atleta, que defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo do Catar, teria trancado, agredido e estuprado a denunciante em um banheiro da área VIP da boate, segundo o jornal El Periódico. Ela procurou as amigas e os seguranças da balada depois do ocorrido.

A equipe de segurança da casa noturna acionou a polícia catalã (Mossos d’Esquadra), que colheu depoimento da vítima. Uma câmera usada na farda de um policial gravou acidentalmente a primeira versão da vítima sobre o caso, corroborando o que foi dito por ela no depoimento oficial. A mulher também passou por exame médico em um hospital. Daniel Alves foi embora do local antes da chegada dos policiais.

Daniel foi preso no dia 20 de janeiro. Nos últimos meses, a Justiça espanhola tem negado todos os pedidos do brasileiro para responder ao processo em liberdade, sob a alegação de risco iminente de fuga de Daniel Alves para o Brasil.

Jornalista formado na PUC Minas. Experiência com reportagens, apresentação e edição de texto em televisão, rádio e web. Vivência em editorias de Cidades e Esportes.
Leia mais