Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

123milhas entra com pedido de recuperação judicial e alega ‘pior crise financeira’

Agência afirma que fatores internos e externos ‘impuseram um aumento considerável de seus passivos nos últimos anos'; empresa é alvo de milhares de ações após suspender promoções

A agência de viagens 123milhas protocolou, nesta terça-feira (29), um pedido de recuperação judicial na 1ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte, em Minas Gerais. No pedido, a empresa afirma que enfrenta a “pior crise financeira de sua história” e alega que “fatores internos e externos impuseram um aumento considerável de seus passivos nos últimos anos”.

No pedido, a empresa afirma que a oferta “Promo” não atingiu os resultados esperados pela empresa porque a agência esperava que os clientes comprassem outros produtos com a companhia. Mas os consumidores adquiriram apenas as passagens com valor promocional, o que gerou insolvência.

“Nesse contexto, a 123 Milhas se viu impossibilitada de emitir as passagens aéreas, pacotes de viagem e os seguros adquiridos pelos clientes do Programa Promo123, especialmente nos prazos contratados, motivo pelo qual entendeu por bem retirar o Programa Promo123 do ar e buscar, por meio do presente pedido de Recuperação Judicial, cumprir tais obrigações de forma organizada”

O aumento inesperado e persistente nos preços das passagens também é citado pela companhia, que afirma que tinha a expectativa de que os valores caíssem antes do lançamento do pacote, com a retomada das viagens após a pandemia da Covid-19. Como os preços continuaram altos, a 123milhas se viu impedida de cumprir a promoção oferecida.

A empresa confirmou que entrou com o pedido de recuperação judicial e que a ação tem o objetivo de “assegurar o cumprimento dos compromissos assumidos com clientes, ex-colaboradores e fornecedores”. Segundo a 123milhas, a recuperação vai permitir que a empresa reúna os valores devidos e reequilibre sua situação financeira mais rapidamente.

O pedido de recuperação judicial, que inclui as empresas Art Viagens (emissora de passagens por milhas) e Novum (holding que mantém as ações da 123milhas), a empresa afirma que a pressão dos credores criou uma “crise de imagem que reduziu as vendas e corrói o caixa da empresa”.

Posicionamento da 123milhas

“A 123milhas informa que protocolou hoje (29/08) no Tribunal de Justiça de Minas Gerais um pedido de Recuperação Judicial. A medida tem como objetivo assegurar o cumprimento dos compromissos assumidos com clientes, ex-colaboradores e fornecedores. A Recuperação Judicial permitirá concentrar em um só juízo todos os valores devidos. A empresa avalia que, desta forma, chegará mais rápido a soluções com todos os credores para, progressivamente, reequilibrar sua situação financeira.

A 123milhas ressalta que permanece fornecendo dados, informações e esclarecimentos às autoridades competentes sempre que solicitados. A empresa e seus gestores se disponibilizam, em linha com seus compromissos com a transparência e a ética, a construir conjuntamente medidas que possibilitem pagar seus débitos, recompor sua receita e, assim, continuar a contribuir com o setor turístico brasileiro.”

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais