Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Caio Ribeiro se curou do mesmo câncer de Pampa, do vôlei; veja sintomas

Ex-jogador e hoje comentarista do grupo Globo, Caio descobriu a doença em 2021 e se curou após fazer sessões de quimioterapia e radioterapia

O ex-jogador de vôlei Pampa, campeão olímpico com a Seleção Brasileira nos Jogos de Barcelona, em 1992, luta contra o um câncer que se inicia no sistema linfático e é conhecido como linfoma de Hodgkin. Aos 59 anos, o ex-atleta passou mal em uma sessão de quimioterapia e precisou ser entubado em hospital de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio de Janeiro.

Outro ícone do esporte brasileiro viveu o mesmo drama há três anos. O ex-atacante Caio Ribeiro, hoje comentarista do grupo Globo, foi diagnosticado com a doença em 2021.

Caio percebeu que havia um caroço em seu pescoço e confirmou o câncer dias depois. Após sessões de quimioterapia, o ex-jogador de futebol conseguiu se curar do linfoma.

“Descobri um carocinho no meu pescoço, tratei, fiz quimioterapia, radioterapia e venci a luta contra o câncer. Ou você afunda, ou luta contra a doença. E eu resolvi lutar e graças a Deus deu tudo certo”, disse Caio, em 2023, ao lembrar do tratamento contra a doença.

Sintomas e chance de cura do linfoma de Hodgkin

O linfoma de Hodgkin atinge o sistema linfático, uma das partes do sistema imunológico. O nome desse tipo de câncer é uma homenagem ao médico Thomas Hodgkin, que fez o diagnóstico de um paciente com a doença em 1832.

O linfoma de Hodgkin acomete o sistema linfático e imunológico de forma ordenada, através dos vasos linfáticos. O tumor aparece predominantemente na região do pescoço e do tórax.

Por isso, é fundamental ir a um médico ao notar o aparecimento de carocinhos nessas duas regiões.

Os sintomas variam de acordo com a localização do tumor, mas podem incluir:

  • febre
  • calafrios
  • tosse
  • cansaço
  • dificuldade para respirar
  • perda de peso
  • suores noturnos
  • coceira na pele
  • pele seca
  • aumento do baço

Cura e incidência maior em homens

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a maioria dos pacientes se cura com os tratamentos disponíveis, mas é importante o diagnóstico precoce.

Este tipo de câncer pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas é mais comum entre adolescentes e adultos jovens (15 a 29 anos), adultos (30 a 39 anos) e idosos (75 anos ou mais).

Os homens têm maior propensão a desenvolver o linfoma de Hodgkin.

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Portal de esportes da Itatiaia
Leia mais