Ouvindo...

Times

Diniz não teme demissão e vê arbitragem decisiva no Fla-Flu: ‘Mais falta do que pênalti’

Treinador admite superioridade do Flamengo no Maracanã, no clássico deste domingo (23), mas discorda pênalti marcado em Bruno Henrique

Após a derrota do Fluminense para o Flamengo, neste domingo (23), Fernando Diniz avaliou a arbitragem, com a marcação do pênalti convertido por Pedro, como decisiva para a vitória do rival por 1 a 0. Por outro lado, o técnico admitiu a superioridade do rival no jogo.

“Acabei de ver o lance. Sob ótica nenhuma dá para achar que aquilo é pênalti. É mais falta no Calegari do que pênalti. É impossível dar o pênalti e o VAR não chamar. Quem definiu o resultado foi o jogo, assim como contra o Cruzeiro”, afirmou Diniz.

“A ideia (com a escalação) )era ter mais controle, mais posse, o Flamengo é um time de transição rápida. Tínhamos que levar o time ao ataque aos poucos. Colocamos o Flamengo no jogo em três erros seguidos e perdemos confiança. Jogadores se entregaram, tentaram, mas o jogo pendeu ao Flamengo. A vitória foi justa pelo desempenho, mas não pelo erro de arbitragem”, completou.

O lance questionado pelo Fluminense foi a marcação do pênalti de Calegari em Bruno Henrique, aos 36 minutos da etapa final. O VAR não chamou o árbitro Rafael Rodrigo Klein para revisão.

A derrota para o Flamengo foi a sétima em 11 rodadas do Brasileirão. O Tricolor, com apenas seis pontos, é o lanterna e faz seu pior de Série A desde adoção dos pontos corridos, em 2003.

A pressão sobre Fernando Diniz e o elenco é grande por conta da situação e do desempenho apresentado em 2024. Sobre uma possível demissão, o técnico decidiu não aprofundar-se.

“O respaldo que tenho da diretoria sempre foi grande. Procuro fazer o trabalho do melhor jeito que posso. Daí para frente, não cabe. São reuniões periódicas para discutir e debater”, afirmou.

Leia também

“Não tenho (medo de demissão). Não sou eu que me demito ou me contrato. Nunca tive e não vou ter medo de ser demitido. Tenho coerência no meu trabalho, farei o meu melhor. É um momento ruim, estamos tentando de tudo para ajudar o time a melhorar e conseguir as vitórias”, completou Fernando Diniz.

Na próxima quinta-feira (27), o Tricolor volta ao Maracanã para enfrentar o Vitória, às 19h (de Brasília), Confira a tabela e a classificação completa do Campeonato Brasileiro!

Confira outras respostas de Fernando Diniz após a derrota do Fluminense:

Ausências de Arias e André
“Existem muitas coisas para o momento. Conquista inédita, Recopa, houve um relaxamento que tentaríamos evitar. (Em 2024) Tinha uma base forte com Nino André e Arias, praticamente em todos jogos e muito alta. Sabíamos que teríamos dificuldade. Perderíamos o Nino, mas aí perdemos os dois também.”

Desempenho dos reforços de 2024
“O momento da equipe. Há uma mudança no modelo de jogo. Renato com problema de lesão e adaptação. O Gabriel, se somar, não dá 90 minutos. O Terans também jogou pouco. Os atletas, de maneira geral, é um time que tem mais mobilidade que as equipes que eles vieram. Isso não dá para colocar na conta do jogador. Fazem parte de uma equipe que está em um momento difícil.”

O problema do Fluminense é físico?
“O problema é geral. É físico no sentido de lesões.. O problema é geral. Temos que buscar soluções. Não está em uma parte, setor ou valência. Temos que melhorar em todos.”

Como recuperar o futebol?
“Temos que trabalhar. Buscar soluções. A ideia era alongar o jogo, falta entrosamento pelas mudanças e de leitura para saber fazer e alongar o jogo, de uma maneira mais simples quando necessário. Foram 20 minutos nos quais botamos o Flamengo no jogo por saídas curtas que não funcionaram. Não dá para sair por baixo, tinha que ser na bola longa.”


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Jornalista e correspondente da Itatiaia no Rio de Janeiro. Apaixonado por esportes, pela arquibancada e contra torcida única.
Leia mais