Ouvindo...

Times

Diniz dedica conquista para a torcida e destaca postura do Flu na Recopa

Treinador celebrou a conexão do elenco tricolor com o Maracanã e garantiu que equipe começou a levantar a taça no duelo em Quito

O técnico Fernando Diniz celebrou sua segunda conquista continental em três meses no Maracanã com o Fluminense e destacou quem levou a equipe para o inédito feito: sua torcida.

Leia também

Nesta quinta-feira (29), o Tricolor venceu a LDU-EQU, por 2 a 0, e ficou com a Recopa Sul-Americana, revertendo a desvantagem no duelo de Quito. E o técnico fez questão de celebrar a sinergia com os tricolores.

“Quero dividir com toda essa torcida linda, maravilhosa, essas três cores que traduzem tradição. Esse é o título é de vocês, que vocês continuem a nos acompanhar. Sou muito grato por tudo que vocês fizeram por mim, pela minha carreira e vocês vão estar sempre no meu coração”, afirmou.

Diniz ainda falou mais sobre a festa feita pelos mais de 56 mil torcedores presentes no Maior do Mundo.

“A torcida tem uma conexão com esse time muito diferente. E comigo desde 2019 tem uma coisa a mais com a torcida do Fluminense que meio que ultrapassa... Existe uma intermediação dos meios de comunicação, com blogueiros e mídias sociais que acabam fazendo quase que o dia todo com a torcida. Mas tem algo que atravessa essa intermediação e vai direto para a arquibancada. Sinto isso desde 2019. Não é perfeito, mas é uma sintonia que faz as coisas acontecerem de maneira mais bonita e mais profunda”, disse.

Atuação em Quito

Mesmo com a derrota em Quito, por 1 a 0, no primeiro jogo, Diniz fez questãio de ressaltar a postura tricolor nos dois jogos. A conquista, segundo ele, passou muito pelo jogo na altitude.

“Começamos a ganhar a final em Quito. Jogar na altitude é algo fisiologicamente desumano. Entendemos que tenha que ter jogos lá, como La Paz, porque socialmente existe futebol e a população de lá para ver a graça de os times verem seus times e seleções. Mas, para nós, é quase impossível jogar de maneira igual. Lá conseguimos fazer um jogo mais pausado. Não ouço muito o que falam na televisão, mas do pouco que vi foi mais desinformado do que informando”, comentou, completando:

“A LDU, quando joga em casa, é o time que mais tem posse. Nós tivemos um pênalti não marcado, e o Fábio quase não defendeu o jogo todo lá. Esse título é muito do que fizemos lá. Fomos três dias antes para Quito. Se o juiz não tivesse interferido no resultado, a gente poderia ter voltado até com vitória de lá. Aqui tivemos um jogador a menos, mas tínhamos a torcida como um jogador a mais que nos empurrou”, finalizou.

O Fluminense volta a campo no domingo (3), às 16h (de Brasília), contra o Botafogo pela última rodada da fase de classificação do Campeonato Carioca. Com 21 pontos, o Tricolor já está classificado para às semifinais.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Jornalista esportivo desde 2006 e com passagens por Lance!, Extra e assessorias de marketing esportivo. É correspondente da Itatiaia no Rio de Janeiro. Tem pós-graduação em Jornalismo Esportivo e formação em Análise de Desempenho voltado para mercado.
Leia mais