Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Palmeiras vira sobre o Santos e conquista o terceiro Paulistão consecutivo

Em jogo apertado, Aníbal Moreno marcou no segundo tempo e carimbou o título alviverde

Neste domingo (7), o Palmeiras venceu o Santos por 2 a 0 e confirmou o título do terceiro Campeonato Paulista consecutivo. Com gols de Raphael Veiga e Aníbal Moreno, a equipe de Abel Ferreira reverteu a derrota por 1 a 0 no jogo de ida.

A taça coroa uma campanha do Palmeiras marcada pela solidez em praticamente todo o campeonato. Antes do revés na partida de ida da final, o Verdão não havia sido derrotado em nenhum dos outros 16 compromissos pelo Estadual.

Ao Santos, fica o legado do início de uma reconstrução feita pelo clube no início desta temporada. Sob comando de Fábio Carille, o Peixe conseguiu fazer jogos parelhos diante do Palmeiras, com chances equilibradas para ambos os lados.

Agora, o Verdão foca seus olhares para a partida desta quinta-feira (11), contra o Liverpool, do Uruguai, pela Libertadores. O Santos, por sua vez, inicia a campanha na Série B do Brasileirão contra o Paysando, na Vila Belmiro, no dia 20 de abril.

O jogo

Palmeiras modificado

Com a necessidade de reverter a vantagem santista, o técnico Abel Ferreira surpreendeu na escalação do Palmeiras.

Em relação time titular base de toda a temporada, promoveu a entrada do atacante Lázaro. Com essa nova peça, o Alviverde seguiu em um esquema híbrido.

Sem a bola, a equipe ficou no 4-4-2. Com a bola, passava para o 3-5-2, com Piquerez se transformando em um terceiro zagueiro e deixando o corredor do ataque no lado esquerdo para Lázaro.

Santos sem Furch

Já o Santos iniciou a grande decisão sem o centroavante Furch. Ele foi poupado do início do jogo após se recuperar de uma inflamação no tendão e no adutor esquerdo e foi substituído por Morelos.

Jogo parelho no início

O Palmeiras começou a partida com a posse da bola. O time girou o jogo de um lado para o outro, mas encontrou dificuldade para desbloquear o bem montado esquema defensivo do Santos.

O Peixe, por sinal, tinha uma proposta clara de se fechar e apostar em saídas rápidas para o ataque. Nesse cenário, conseguiu a primeira chance de marcar em um chute de Diego Pituca, aos cinco minutos.

O Palmeiras respondeu com uma finalização de Mayke cortada em cima da linha por Gil, aos nove.

VAR aponta pênalti

O clássico estava parelho até que o VAR entrou em ação aos 27 minutos. Raphael Claus foi chamado para revisar uma disputa de bola entre João Paulo e Endrick e viu que o joelho esquerdo do goleiro santista tocou na perna do atacante palmeirense. Pênalti marcado.

Palmeiras sai na frente

A cobrança demorou cinco minutos para ser executada com tranquilidade por Raphael Veiga. O meia fez o Allianz Parque explodir ao virar o artilheiro isolado do Palmeiras neste século, com 89 gols marcados.

Em contraste à comemoração dos alviverdes, estava a insatisfação do Peixe ao se queixar da marcação do pênalti e também ao apontar que a bola do tiro de meta batido por Weverton, na origem do lance que terminou na penalidade, não estava parada.

Verdão perde gols em sequência

Depois de sair na frente do placar, o time alviverde se impôs na partida e criou três chances claras de gol. A primeira delas foi desperdiçada por Lázaro. Depois, em sequência, veio um chute de Piquerez defendido por João Paulo. No escanteio, Gustavo Gómez cabeceou com perigo.

O Palmeiras fez um gol no primeiro tempo, mas poderia ter feito mais.

Segundo tempo em alta voltagem

Palmeiras e Santos voltaram do intervalo dispostos a partir para “trocação” nos primeiros minutos da etapa final. Com um jogo mais veloz e vertical dos lados, as chances de gol foram surgindo em sequência, mas as finalizações ficaram no quase.

Em uma delas, aos 12 minutos, Mayke tirou, milagrosamente, um chute de Otero. Foi em cima da linha.

Endrick no quase

Mais solto em campo, Endrick passou a articular mais as jogadas pela ponta direita e também começou a arriscar mais finalizações. Em uma delas, ficou muito perto de marcar, mas a bola beijou a rede pelo lado de fora.

Aníbal Moreno faz o segundo

Melhor em campo, o Palmeiras chegou ao segundo gol em uma bela trama coletiva. Após cruzamento de Piquerez, Flaco López ajeitou de cabeça e Aníbal Moreno completou para as redes. O Allianz Parque explodiu mais uma vez, aos 21 minutos da etapa final.

Palmeiras segura vantagem

Com o placar alcançado, o Palmeiras reduziu o ritmo do jogo e terminou a partida com o tricampeonato, feito que só tinha sido alcançado na história alviverde apenas apenas uma vez, há exatos 90 anos (1932 a 1934).

Palmeiras 2 x 0 Santos

Palmeiras

Weverton; Mayke, Gustavo Gómez (Luan), Murilo e Piquerez; Aníbal Moreno, Zé Rafael (Richard Ríos), Endrick (Marcos Rocha), Raphael Veiga e Lázaro (Luis Guilherme); Flaco López (Rony). Técnico: Abel Ferreira

Santos

João Paulo; Aderlan (JP Chermont), Joaquim, Gil e Felipe Jonatan (Hayner); João Schmidt, Diego Pituca e Giuliano; Otero (Pedrinho), Guilherme e Morelos (Furch). Técnico: Fábio Carille

Gols
Raphael Veiga (32min1ºT) e Aníbal Moreno (21min2ºT), do Palmeiras

Cartões amarelos
Endrick, Zé Rafael e Mayke (Palmeiras); Aderlan, Gil, Morelos (Santos)

Público:41.446 pessoas
Renda:R$ 5.244.701,37

Motivo: final do Campeonato Paulista (jogo de volta)
Data e horário: 7 de abril de 2024, às 18h (de Brasília)
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Neuza Inês Back
Árbitro de vídeo: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral

Leia também


Participe dos canais do Itatiaia Esporte:

Brenno Costa é jornalista multimídia formado pela Universidade Católica de Pernambuco e pós-graduado em comunicação e marketing pela Estácio. Atualmente, é correspondente da Itatiaia em São Paulo. Antes, trabalhou na Folha de Pernambuco, Diario de Pernambuco/Superesportes e no Globo Esporte.
Jornalista formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Responsável por acompanhar o dia a dia de Corinthians e Santos pela Itatiaia Esporte. Passagem também como repórter do portal Meu Timão
Leia mais