Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Márcio Rezende de Freitas aponta melhores árbitros e decepções no Brasileiro de 2023

Ramon Abatti Abel (Fifa/SC), de 34 anos, foi apontado como o melhor do Brasil na atualidade

Ramon Abatti Abel

Ramon Abatti Abel foi apontado como o melhor árbitro do Brasileiro por Márcio Rezende de Freitas

Cesar Greco/Palmeiras

Com o fim do Campeonato Brasileiro nesta quarta-feira (6), o comentarista Márcio Rezende de Freitas, da Itatiaia, fez uma análise da arbitragem na competição de 2023, apontou os melhores do apito e também as decepções da temporada.

Árbitro entre 1983 e 2005 e integrante do quadro da Fifa por 15 anos, Márcio Rezende de Freitas apontou Ramon Abatti Abel (Fifa/SC), de 34 anos, como o melhor do Brasil na atualidade.

“Ele começou o Brasileiro de forma claudicante, foi encorpando no primeiro turno e no final fez arbitragens muito seguras, consistentes. Está muito bem e merece o posto de melhor do quadro nacional neste momento. Ele tem agradado tanto que os próprios clubes requisitam a presença dele nos jogos importantes”, afirmou Márcio.

Outro destaque, na visão do comentarista, foi Rodrigo José Pereira de Lima, de Pernambuco, de 36 anos.

“Ele foi lançado e não tinha consistência no começo da Série A. Teve erros no primeiro turno, aprendeu e fez um campeonato muito bom. Foi o único que teve coragem, por exemplo, de expulsar o Hulk no clássico entre América e Atlético do returno, em Uberlândia. Mostrou personalidade que muitos não tiveram. O segundo turno dele no Campeonato Brasileiro foi consistente”, comentou.

Árbitros de vídeo

Em um campeonato tão tumultuado, principalmente pela falta de critérios no VAR, Márcio Rezende de Freitas fez questão de exaltar o trabalho de quatro árbitros de vídeo com posturas adequadas.

“Para chegar a esses nomes, levei em conta os menos intrusivos, os mais assertivos e que deixam a decisão principal com o árbitro da partida e só interferem quando necessário. É isso que deve acontecer”, destacou.

Rezende de Freitas exaltou os trabalhos de:

  • Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral, de 47 anos - VAR Fifa/SP
  • Wagner Reway, de 42 anos - VAR Fifa
  • Daniel Nobre Bins, de 46 anos - VAR Fifa/RS
  • Rodrigo D’Alonso Ferreira, de 41 anos - VAR SC

Decepções

Márcio Rezende de Freitas também apontou os árbitros que decepcionaram nesta edição do Campeonato Brasileiro. “São árbitros que não estiveram à altura da Série A. Cito Sávio Sampaio (Fifa/DF), Caio Marques (RN) e Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)”.

Análise geral

No entendimento do comentarista da Itatiaia, a arbitragem no Campeonato Brasileiro teve melhora no segundo turno, com mais segurança nas atuações.

“A arbitragem começou muito ruim, com muitos erros, problemas de falta de personalidade seguindo aquilo que a Comissão de Arbitragem falava nas reuniões de terça-feira. Esse foi o grande problema da arbitragem no início. Depois, deu uma melhorada, principalmente na reta final do segundo turno, quando as arbitragens foram bem seguras e convincentes, haja vista a redução das reclamações. Claramente houve uma evolução no fim do campeonato”, concluiu Márcio Rezende.

Coordenador do esporte digital da Itatiaia. Construiu sua carreira no jornalismo esportivo digital. Grande experiência como repórter e editor-chefe. Passou por Superesportes, Estado de Minas, TV Alterosa, Veja BH, Canal 23 e colaborou com O Jogo (POR), Mundo Deportivo (ESP) e Levante EMV (ESP).
Leia mais