Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Brasil cai para Argentina na 1ª derrota em casa na história das Eliminatórias

Jogo no Maracanã atrasou por causa de pancadaria na arquibancada; Seleção vai para a sexta posição na tabela

Otamendi comemora gol da Argentina no Maracanã

Otamendi comemora gol da Argentina no Maracanã

Divulgação/AFA

O Brasil perdeu da Argentina por 1 a 0 na noite desta terça-feira (21), no Maracanã, no Rio, pela sexta rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026. Mais um resultado ruim para a Seleção Brasileira, que acumulou o quarto jogo sem ganhar, com um empate e três derrotas, caindo para a sexta colocação, com sete pontos. Os argentinos foram a 15, em primeiro.

Foi a primeira derrota da Seleção Brasileira como mandante em um jogo de Eliminatórias, após 64 partidas (com 51 vitórias e 13 empates). O gol argentino foi marcado pelo zagueiro Otamendi, de cabeça, após cobrança de escanteio. Nem um Messi abaixo da média ajudou o Brasil na partida.

Fora de campo, uma pancadaria entre torcedores brasileiros e argentinos, e depois com a Polícia Militar para cima dos argentinos, quase fez o jogo não ser realizado. Liderados por Lionel Messi, o time da Argentina primeiro tentou impedir o avanço da PM sobre seus compatriotas e, depois, saiu do gramado para o vestiário. O jogo atrasou 30 minutos, mas desta vez aconteceu.

Em 2021, também pelas Eliminatórias, mas em São Paulo, os argentinos se recusaram a jogar quando representantes da Anvisa, a agência de vigilância sanitária, entraram em campo com a bola rolando para retirar atletas dos visitantes porque entraram no país sem seguir as regras de combate à Covid-19. Esse jogo jamais aconteceu.

Bola rolando

O jogo começou tenso, com lances ríspidos dos dois lados. Aos poucos, porém, os nervos dos atletas foram acalmando, e o Brasil se manteve melhor do que a Argentina em campo.

Com seu quarteto ofensivo com Rodrygo, Raphinha, Gabriel Jesus e Martinelli, Diniz tentava imprimir velocidade ao jogo em um Maracanã com bom gramado. A Argentina entrou em campo com um meio de campo mais reforçado, com Lo Celso, e não Dí María, justamente para tentar impedir a correria brasileira.

Lionel Messi, que com 36 anos provavelmente fez seu último jogo em solo brasileiro com a Seleção Argentina, teve uma atuação apagada. Em certo momento, ainda no primeiro tempo, deixou o gramado para que o massagista argentino trabalhasse em uma de suas pernas, certamente com dor.

O segundo tempo teve panorama parecido: brasil tentando mais, Argentina retraída. Mas aos poucos os argentinos foram saindo mais, e com 17 minutos conseguiram o gol, com Otamendi cabeceando após cobrança de escanteio.

Pior sequência desde 2001

Entre 6 de junho e 11 de julho de 2001, a Seleção Brasileira sofreu quatro derrotas seguidas, no que foi a pior sequência de sua história centenária. Os técnicos eram Emerson Leão, demitido após fracasso na Copa das Confederações, e depois Felipão, que teve início ruim, mas que terminaria bem como título da Copa do Mundo de 2002, na Ásia.

A derrota para a Argentina no Maracanã, nesta teça, foi a terceira seguida, sendo a pior sequência dos últimos 22 anos.

Despedida de Diniz

O treinador tem contrato até junho de 2024, ainda terá agenda em março, mas não comandará mais o Brasil nas Eliminatórias, já que o Brasil só volta a atuar pelo torneio em setembro. A campanha do técnico foi de seis partidas, duas vitórias, um empate e três derrotas, com sete pontos e a sexta colocação na tabela de classificação, atrás de Uruguai, Argentina, Colômbia, Venezuela e Equador.

A direção da CBF espera que a partir de junho, e já na Copa América dos Estados Unidos, o treinador seja Carlo Ancelotti, italiano que atualmente está no Real Madrid, da Espanha.

A pancadaria

A briga envolvendo torcedores do Brasil, da Argentina e a Polícia Militar do Rio de Janeiro atrasou o início da partida em quase meia hora. As cenas de violência ocorreram no Setor Sul da arquibancada do Maracanã, onde estava concentrada a maioria da torcida argentina. Algumas pessoas ficaram feridas.

A briga começou logo após a execução dos hinos, quando brasileiros e argentinos se provocaram no setor misto. A pancadaria começou e houve demora para a segurança privada e a Polícia Militar agirem.

Com a confusão e o empurra-empurra generalizado, muitos torcedores precisaram pular para o campo. O capitão brasileiro Marquinhos e os jogadores da Argentina foram na direção da arquibancada para tentar conter os brigões. A despeito disso, a briga generalizada prosseguiu.

Mães com crianças no colo precisaram ser amparadas para se afastar da confusão. Algumas pessoas ficaram feridas e foram levadas para a enfermaria do estádio, e outras foram presas. Os jogadores argentinos decidiram voltar a campo, mas o clima quente saiu da arquibancada para o gramado.

Próximos jogos

Pelas Eliminatórias, o Brasil volta a campo contra o Equador, em casa (cidade e estádio indefinidos), em setembro de 2024, provavelmente dia 5, pela sétima rodada. Já a Argentina recebe o Chile, no mesmo dia.

Mas, antes, as duas Seleções jogarão na Data-Fifa de março de 2024, quanto times da América do Sul enfrentarão rivais europeus, em acordo entre a Conmebol e a Uefa.

O Brasil já tem confirmado o amistoso contra a Inglaterra, dia 23 de março, em Londres. Também deve enfrentar a Espanha, em Madri, em data a ser divulgada. A Argentina não anunciou ainda suas partidas, mas há negociação para reeditar a final da Copa do Mundo de 2022 contra a França.

Os seis primeiros se classificam para a Copa que será nos Estados Unidos, no México e no Canadá. O sétimo jogará uma repescagem mundial, em março de 2026, em local a se definir.

Brasil 0 x 1 Argentina

Brasil

Alisson; Emerson Royal, Marquinhos (Nino), Gabriel Magalhães (Joelinton) e Carlos Augusto; André e Bruno Guimarães (Douglas Luiz); Rodrygo, Raphinha (Endrick), Gabriel Jesus e Martinelli (Raphael Veiga). Técnico: Fernando Diniz

Argentina

Emiliano Martínez; Molina, Cristian Romero, Otamendi e Acuña (Tagliafico); De Paul, Enzo Fernández (Paredes), Mac Allister e Lo Celso (Nico González); Messi (Dí María) e Julián Álvares (Lautaro Martínez). Técnico: Lionel Scaloni

Gols
Otamendi (17min2ºT) para a Argentina

Cartões Amarelos
Raphinha, Carlos Augusto e Gabriel Jesus (Brasil)

Cartão Vermelho
Joelinton (Brasil)

Público: 68.138 presentes
Renda: R$ 19.989.700,00

Motivo: 6ª rodada das Eliminatórias para a Copa de 2026
Data e horário: 21 de novembro de 2023 (terça-feira), às 21h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio

Árbitro: Piero Maza (Chile)
Auxiliares: Cláudio Urrutia e Miguel Rocha (ambos do Chile)
Árbitro de vídeo: Juan Lara (Chile)

Formado em jornalismo pela PUC-Campinas em 2000, trabalhou como repórter e editor no Diário Lance, como repórter no GE.com, Jornal da Tarde (Estadão), Portal IG, como repórter e colunista (Painel FC) na Folha de S. Paulo e manteve uma coluna no portal UOL. Cobriu in loco três Copas do Mundo, quatro Copas América, uma Olimpíada, Pan-Americano, Copa das Confederações, Mundial de Clubes, Eliminatórias e finais de diversos campeonatos.
Leia mais