Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Quem é Bad Bunny? Cantor perdeu título de mais ouvido para Taylor Swift no Spotify

Cantor porto-riquenho foi artista mais ouvido do mundo no Spotify por três anos seguidos, entre 2020 e 2022; ontem ele foi chamado de ‘Rei do Pop’ pela Forbes

Bad Bunny em 'Trem-Bala', filme de 2022

Bad Bunny em ‘Trem-Bala’, filme de 2022

Divulgação | Sony Pictures

Benito Antonio Martínez Ocasio, mais conhecido como Bad Bunny, perdeu o título de artista mais ouvido do mundo no Spotify para Taylor Swift em 2023, um dia após ter sido nomeado como “Rei do Pop” pela Forbes. O cantor porto-riquenho ainda apareceu em destaque, ocupando o segundo lugar no Spotify Wrapped e continua tendo o álbum mais escutado do ano.

O álbum responsável pela posição é “Un Verano Sin Ti”, o mesmo que conquistou o feito no ano passado. Lançamento de 2022, o título de Bad Bunny foi reproduzido mais de 15 bilhões de vezes somente no Spotify, onde é o disco com mais reproduções entre todos que estão disponíveis na plataforma.

Vale lembrar que o ‘Coelho Mau’ (Bad Bunny em tradução literal para português) foi o artista mais ouvido do mundo por três anos seguintes, entre 2020 e 2022. O sucesso não veio só no Spotify, mas é refletido em grandes premiações. Pareado com Beyoncé como artista mais indicado ao Grammy 2023, ele já conquistou três gramofones. No Grammy Latino, soma 11 prêmios.

Reggaeton

Tendo o reggaeton como carro chefe, o porto-riquenho de 29 anos já lançou sete álbuns em cerca de sete anos de carreira, todos excepcionalmente bem sucedidos. O mais recente, “Nadie Sabe Lo Que Va A Pasar Mañana”, de outubro deste ano, já recebeu mais de 2 bilhões de reproduções somente no Spotify.

Como se o currículo como cantor não fosse suficiente, ele ainda acrescenta trabalhos como ator e destaque no mundo da moda, além de ser um ativista constante. O artista seria o primeiro protagonista latino da Marvel nos cinemas, mas acabou dispensando o projeto. Já no mundo da moda, estrelou campanhas da Jacquemus e da Gucci - nesta, ao lado da namorada, Kendall Jenner.

De onde saiu Bad Bunny?

Nascido em San Juan, Porto Rico, em 10 de março de 1994, Benito foi praticamente criado por um dos gêneros mais potentes da música latina: o reggaeton. Ele começou a cantar e compor suas próprias músicas ainda jovem e, antes do sucesso, estudava comunicação na Universidade de Porto Rico e trabalhava em um supermercado para bancar os estudos.

Estudos esses que nunca fizeram o artista deixar a música de lado. No tempo livre, ele publicava músicas autorais, produzidas em casa, no Soundcloud, sem a mínima pretensão de estourar. Na plataforma, ele já utilizava o nome Bad Bunny, apelido que veio de uma foto de infância na qual Benito aparece vestido de coelho e com cara de bravo: “El Conejo Malo”.

O estouro de Bad Bunny veio de forma orgânica, com a canção “Diles”. Pontapé inicial da carreira do porto-riquenho, a faixa levou o músico a assinar com uma gravadora, com a qual ficou até 2018. Após assinar com a Rimas Music, veio o lançamento de uma série de álbuns - incluindo “X 100PRE”, “Oasis” e “YHLQMDLG” - e singles de sucesso estrondoso - como “MIA”, “LA CANCIÓN” e “La Santa”.

Bad Bunny fez história ao se tornar o primeiro artista latino a ter um álbum completamente em espanhol a estrear no topo da Billboard 200, em 2020. O sucesso foi repetido com “Un Verano Sin Ti”, álbum mais ouvido da história do Spotify. Com o disco, ele foi o primeiro artista latino a conseguir colocar um álbum totalmente em espanhol na disputa pela categoria "Álbum do Ano”.

Fiel às raízes

O sucesso da carreira de Bad Bunny é incomparável ao de qualquer outro artista latino, e o artista porto-riquenho impressiona por um fator: Benito nunca deixou de cantar em espanhol nos sete anos de carreira. "Às vezes nos subestimam e não percebem o poder que temos como latinos. Quando nós, latinos, percebermos o poder que temos, falando nossa língua e representando a raça latina, vamos dominar o mundo”, afirmou o cantor em entrevista de 2019.

A relação do artista com Porto Rico é fortíssima, independente do nível da fama. Ao contrário de grandes nomes da música que evitam debates políticos, ele não foge deles. Em 2019, quando protestos locais depuseram o governador porto-riquenho Ricardo Rosselló, Bad Bunny deixou a turnê que realizava pela Europa para participar de manifestações anti-corrupção na terra natal.

O artista também se atenta à dar voz para a comunidade LGBTQIA+, muito além do “pink money”. Em uma apresentação nos Estados Unidos, Benito trouxe uma mensagem na blusa que vestia: “Mataron a Alexa, no a un hombre con falda” (em português, “Mataram Alexa, não um homem de saia”). Os dizeres tem relação com o assassinato de Alexa Negró Luciano, vítima de um ataque motivado por transfobia em Porto Rico.

Bad Bunny também já se mostrou aliado à causa feminista em algumas de suas canções. Em “Solo de Mi”, o artista faz uma crítica aos casos de violência doméstica. Já em “Yo Perreo Sola”, música que referencia o “perreo” porto-riquenho”, ele destaca o direito das mulheres de dançarem sozinhas sem sofrerem assédio. No clipe, ele se transformou em drag queen.

Maria Clara Lacerda é jornalista formada pela PUC Minas e apaixonada por contar histórias. Na Rádio de Minas desde 2021, é repórter de entretenimento, com foco em cultura pop e gastronomia.


Leia mais