Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Taylor Swift lança ‘1989 (Taylor’s Version); saiba tudo sobre o álbum

Regravação de disco originalmente lançado em 2014 conta com cinco novas músicas

Taylor Swift desembarca no Brasil para seis shows no Rio de Janeiro e em São Paulo, em novembro, mas, antes disso, a cantora estadunidense irá lançar a regravação do álbum “1989". Originalmente de 2014, a produção agora ganha o selo “Taylor’s Version” (versão da Taylor, em português) e traz cinco faixas inéditas ou, como a artista intitula, “From The Vault” (do cofre, em português).

A nova versão do disco chega ao público nesta sexta-feira (27), exatos nove anos depois do lançamento do original. A nova trilha sonora completa do “1989 (Taylor’s Version)”, inclui cinco faixas que não vieram a público no primeiro lançamento. “‘Slut!’”, “Say Don’t Go”, “Now That We Don’t Talk”, “Suburban Legens” e “Is It Over Now?” são carregam o selo “From The Vault” (do cofre, em português).

Impacto de ‘1989'

Na primeira versão, “1989" marcou a entrada oficial de Taylor Swift para o gênero pop com canções como “Shake It Off”, “Bad Blood” e “Bad Blood”. O título “1989" é uma referência ao ano de nascimento da cantora norte-americana, que irá completar 34 anos em 13 de dezembro, e também tem relação com inspirações da cantora em produções da década de 1980.

Vale lembrar que Taylor consolidou a carreira com raízes no country, pelo qual conquistou sete Grammys, incluindo Álbum do Ano por “Fearless”. Após não repetir o feito com “Speak Now” e “Red”, álbus de 2010 e 2012, a artista decidiu fazer uma transição no estilo musical e “renascer” através do pop - daí surgiu a ideia de batizar o álbum com o ano de nascimento.

A mudança funcionou. Com “1989", Taylor conquistou quatro Grammys, incluindo Álbum do Ano. Com a vitória, a artista se tornou a primeira mulher a vencer a categoria em dois gêneros. Ainda, em 2021, ela quebrou o próprio recorde e foi a primeira a conquistar três vezes o prêmio de Álbum do Ano, desta vez por “Folklore”. Agora, o álbum ganha uma nova versão.

Por que Taylor Swift está regravando álbuns?

Taylor Swift tem regravado e relançado os seis primeiros álbuns após a polêmica venda do catálogo musical produzido sob contrato com a gravadora Big Machine. O projeto de regravação dos masters foi iniciado em 2021, quando “Fearless” foi relançado, seguido por “Red”, em 2022, “Speak Now”, em julho deste ano e, agora, “1989" ganha uma “Versão da Taylor”.

O empresário Scooter Braun é considerado um dos responsáveis pela regravação de todo o catálogo musical de Taylor Swift, assim como o antigo dono da Big Machine, Scott Borchetta. A polêmica aconteceu depois do responsável pela carreira de Justin Bieber adquirir a gravadora que detinha os direitos dos seis primeiros álbuns de Swift por US$ 300 milhões (mais de R$ 1 bilhão).

O catálogo da gravadora incluía as versões originais dos seis primeiros álbuns da norte-americana: “Taylor Swift” (2008), “Fearless” (2018), “Speak Now” (2010), “Red” (2012), “1989" (2014) e “Reputation” (2017). A artista tentou comprar as músicas “de volta”, mas não aceitou as condições oferecidas pelo empresário, que demandou que ela nunca mais o criticasse em público.

Posteriormente, as gravações foram vendidas para a Shamrock Holdings, mas Braun continuava recebendo uma porcentagem de lucro em cima das gravações. Com a intenção de ser dona de todo catálogo musical, ela decidiu regravar as seis primeiras produções e relançá-las com o selo “Taylor’s Version” (versão da Taylor, em português).

Maria Clara Lacerda é jornalista formada pela PUC Minas e apaixonada por contar histórias. Na Rádio de Minas desde 2021, é repórter de entretenimento, com foco em cultura pop e gastronomia.


Leia mais