Ouça a rádio

Compartilhe

Policial penal é preso suspeito de dar 'capacetadas' na cabeça da ex em Uberaba

Devido às agressões, a vítima segue hospitalizada com suspeita de traumatismo craniano moderado; policial foi liberado após pagar fiança de 1 salário mínimo 

Suspeito foi levado para a delegacia de plantão

Um policial penal, de 48 anos, foi preso suspeito de agredir a ex-companheira, de 46, a golpes de capacete em Uberaba, no Triângulo Mineiro, na última terça-feira (31). A vítima foi internada com suspeita de traumatismo craniano moderado após apresentar lapsos de memória devido às pancadas.

O suspeito foi quem procurou a polícia afirmando que empurrou a ex-esposa, que veio a cair e bater a cabeça em uma lixeira. Com a suposta queda, ela ficou com um corte na cabeça. Porém, a vítima apresentou outra versão.

Durante o relato do homem, a PM verificou que havia uma solicitação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de apoio para a mesma ocorrência, em que mencionava que a vítima havia sido agredida em via pública pelo companheiro.

A mulher foi levada para a UPA, onde ficou em observação por algumas horas. Depois, militares foram até o local para ouvir a versão da vítima.

À polícia, ela contou que estava com o suspeito há 17 anos e que eles estão separados há duas semanas. Nessa terça, ela revelou que o ex foi até o local onde ela trabalha para conversarem sobre o horário que ele iria buscar o filho que eles têm juntos.

Depois, a vítima disse que foi para a casa do homem e que ele ficou bastante alterado após receber um áudio de uma mulher afirmando que ela teria denunciado para alguém que ele estava passando telefones dentro da penitenciária. Relato que o policial penal nega.

Após perceber que ele estava nervoso, a vítima desceu da moto, quando o mesmo pegou o capacete dela e começou a lhe agredir com o objeto e chutes. De acordo com a mulher, ela não se recorda em detalhes das agressões por causa das pancadas que sofreu na cabeça.

Conforme laudo médico, a vítima teve um hematoma de aproximadamente 6 centímetros na região da testa, uma ferida com material cortante e lesões próximas ao maxilar. A mulher ainda apresentou lapsos de memória, levantando a suspeita de traumatismo craniano moderado. Ela segue em observação na unidade de saúde, porém não teve seu estado detalhado.

O suspeito foi levado para a delegacia de Polícia Civil. Em nota, a instituição explicou que o homem foi ouvido e depois liberado pelo delegado de plantão, que arbitrou fiança de 1 salário mínimo.

“O delegado ratificou a prisão em flagrante e arbitrou fiança, conforme previsão legal, no valor de um salário mínimo, que foi paga e, em seguida, o suspeito foi liberado. A investigação prossegue a cargo da Delegacia de Orientação e Proteção à Família do município”, afirmou a Polícia Civil.

A reportagem também entrou em contato com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que afirmou que vai aguardar a conclusão da polícia sobre o caso.

“Informamos que o fato ocorreu fora do horário de trabalho do policial penal e que o Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) aguardará a conclusão dos trabalhos pertinentes à Polícia Civil para que as medidas administrativas cabíveis sejam tomadas”, disse.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido