Ouça a rádio

Compartilhe

Mulher acusada de mandar matar marido e ir ao bar após assassinato é julgada hoje 

Luciane Araújo Silva, de 38 anos, acusada de  ser a mandante do assassinato do marido dela, Joanis Divino de Almeida

Luciane Araújo Silva, de 38 anos, acusada de  ser a mandante do assassinato do marido dela, Joanis Divino de Almeida, está sentada no banco dos réus, no Fórum Lafaiete, em Belo Horizonte, na manhã desta quarta-feira (25). 

De acordo com a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a vítima estava trabalhando quando Luciane atraiu o marido para casa, alegando estar passando mal e que precisava da ajuda dele. 

Quando o Joaniz chegou em casa, no bairro Mineirão, na região do Barreiro em Belo Horizonte, foi surpreendido pelos assassinos. 

A vítima foi agredida com golpes na cabeça e facadas. A Polícia Civil investigou e descobriu que Luciane deixou o companheiro sendo agredido e morto. Depois disso, ela foi para um bar beber cerveja e, em seguida, saiu para comprar um guarda-roupa. 

As investigações apontaram que o amante da Luciane, Samuel Felipe de Paixão, de 19 anos, foi quem teria um conhecido na Pedreira Prado Lopes, que fica  na Região Noroeste de BH, para matar Joanis. 

Samuel já foi julgado e condenado a 18 de prisão e, hoje, quem senta no banco dos réus é a Luciane. 

Conforme a polícia, a mulher queria a morte do marido e recebeu um seguro de vida no valor de R$30 mil e,  também, para ficar com uma casa que estava terminando de ser construída avaliada em R$300 mil. 

O julgamento começou às 8h30 e deve acabar ainda hoje. 

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido