Ouça a rádio

Compartilhe

Frio intenso e baixa umidade podem ser prejudiciais a população idosa

Hidratação e se proteger do frio são essenciais neste período

Frio intenso e baixa umidade do ar, combinação que deixa todos em alerta desde que as temperaturas despencaram. Mesmo quem gosta de um friozinho, enfrenta algumas dificuldades no dia a dia. 

Se esse tempo já exige da população em geral alguns cuidados, para as pessoas idosas as atenções devem ser redobradas. A Itatiaia conferiu de perto como 17 mulheres estão lidando com o frio. 

Elas estão acolhidas no Lar Recanto Feliz São Francisco de Assis, no bairro Betânia, região oeste de Belo Horizonte. A casa é uma instituição de longa permanência para idosos, que funciona em parceria com a prefeitura. 

Logo no pátio da casa, perto de um belo jardim, está Maria José Leônidas de Abreu, mais conhecida como dona Zezé, de 90 anos. Ela conta o que tem feito todas as manhãs para aguentar o frio intenso na capital.   

“Tem correr atrás do sol para poder refrescar a idade da gente”, brinca.

Ainda no jardim, a Marilene de Abreu, de 78 anos, diz que o segredo para enfrentar o frio é comer um pouco mais, fazer uma boa caminhada matinal, tomar um banho quentinho e se agasalhar bem.  

“Ah, eu gosto de comer, ajuda. Tomar um café, e depois tomar meu banho para me arrumar”, explica.

Em outro canto da casa, bem mais agasalhada, a Maria do Carmo Pecurari, de 92 anos, fala que já conta os dias para acabar o outono e depois o inverno. 

“As pessoas ficam muito quietas, se refugiam em um canto e ficam tremendo de frio, eu não gosto disso não. No frio tudo é difícil, até tomar um banho, mas não pode fugir dele”, avisa.

Cuidados especiais

A coordenadora do recanto feliz, Lúcia Helena de Paula, conta que muitas das mulheres acolhidas pela casa têm comorbidades e as preocupações aumentam bastante nesse período.  

“A gente tem muito idoso fragilizado, com risco muito eminente de uma pneumonia, idoso que está acamado. A casa é uma casa grande, ventilada, e no inverno ela fica mais fria. Várias vezes os idosos não gostam muito de ficar cobertos ou com agasalho, ainda tem as doenças respiratórias, todo mundo aglomerado no mesmo lugar. Então é uma preocupação sim, é um idoso frágil que muita das vezes é melhor ele estar dentro da instituição do que ele ir para um pronto atendimento”, afirma.

Lúcia completou falando sobre a necessidade de cuidados com a hidratação corporal durante esse período.

“A pele do idoso pode ressecar e ficar como um papel, então ela tende a “rasgar”. O acúmulo do agasalho e fraldas também pode causar dermatites, e o banho muito quente acaba queimando a pele”, ressalta.

Segundo a gerente de gestão dos serviços de alta complexidade da prefeitura, Sandra Regina Ferreira, as instituições de longa permanência para idosos de Belo Horizonte já estão bem equipadas para o frio, mas as doações são sempre bem-vindas.  

“Nossas unidades já tem atenção durante o ano. Na época do frio, à medida que tem demanda, nós fazemos a disponibilização de cobertores, mas esse ano as unidades estavam bem organizadas e não foi necessário repor. É um ajuntamento de forças, as unidades podem fazer aquisição no caso de necessidade. Como são instituições filantrópicas, elas têm muita mobilização das sociedade civil, recebem doação e fazem campanhas”, completa.

Nesse momento, o Lar Recanto Feliz precisa de materiais de limpeza, principalmente álcool e lenços umedecidos. Quem puder ajudar, as doações podem ser entregues na rua Bonança, número 128, no bairro Betânia.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido