Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Justiça nega perícia psiquiátrica para aluna da USP que desviou R$ 1 milhão

Estudante de medicina responde por crimes de estelionato

Estudante de medicina da USP é acusada de estelionato

Estudante de medicina da USP é acusada de estelionato

Reprodução/Redes sociais

A Justiça de São Paulo negou um pedido de perícia psiquiátrica feito pela defesa da estudante de medicina da USP Alicia Muller, que é acusada de desviar R$ 937 mil da comissão de formatura. Ela confessou a prática do crime.

O caso, que está na fase de audiências judiciais, tramita em sigilo. A informação do pedido negado foi publicado pelo colunista Rogério Gentile, do UOL.

No pedido, a defesa da estudante alegou que, à época dos fatos, ela estava com o estado emocional agravado por ter interrompido o uso de medicamentos controlados receitados por psiquiatra, em função de crises de ansiedade.

Porém, o juiz Paulo Balbone Costa argumentou que os transtornos de ansiedade e a interrupção do tratamento não são capazes de cercear a capacidade de entendimento dela da situação. A defesa da estudante, que alega inocência, ainda pode recorrer da decisão.

No fim de outubro, a Justiça começou as audiências do caso da estudante, que responde por oito crimes de estelionato consumados e um tentado. Ela poderá ser condenada a prestação de serviços comunitários, multa ou até prisão.

Segundo a versão dela, o dinheiro foi usado com aluguéis de apartamento e de um carro. A jovem afirmou que tirou o valor da empresa contratada, porque acreditava que ele não estava sendo bem administrado, mas acabou fazendo “péssimas aplicações” e perdeu a quantia.

Jornalista há 15 anos, com experiência em impresso, online, rádio, TV e assessoria de comunicação.
Leia mais