Ouça a rádio

Compartilhe

Modelo relata ter sido estuprada por Bruno Krupp  

Priscila Trindade revelou que crime teria sido cometido em 2016, quando estava na casa do modelo  

Priscila Trindade, de 28 anos, relatou estupro através das redes sociais

Uma modelo de 28 anos revelou ter sido estuprada por Bruno Krupp, preso preventivamente após atropelar e matar um adolescente de 16 anos. Priscila Trindade relatou a agressão sofrida através das redes sociais, nesta quinta-feira (4).

O caso teria acontecido há seis anos, quando Priscila conheceu o modelo em uma festa na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. "Eu o conheci numa roda de amigos, flertamos e aceitei ir até a casa dele em Niterói para irmos em uma festa", contou a modelo, explicando que aceitou dormir na casa de Bruno porque morava na capital fluminense.

Ainda segundo o relato, Krupp teria deixado Priscila na festa com alguns amigos e só apareceu no local por volta das 3h. A jovem teria sido levada até a casa do modelo, que retornou para a festa e só voltou para casa por volta das 6h.

"Ele chegou bêbado às 6h da manhã e me pegou à força. Falei várias vezes para ele parar e ele literalmente me forçou. Forçou MESMO. Depois de muito relutar, cedi e foi horrível. Era muito constrangedor porque, se eu gritasse, iria acordar a casa inteira e não tive coragem de ter uma atitude mais drástica. No meio da situação, ele pegou o celular e ainda tentou me gravar sem roupa na cama dele. Fiquei chateada, mas ele falava tanta coisa idiota que eu só pensava em ir embora", publicou Priscila.

Na série de stories, a modelo ainda conta que Krupp tentou gravar a relação. "No meio da situação ele pegou um celular e tentou me gravar sem roupa na cama dele. Eu fiquei chateada, mas ele falava tanta coisa idiota que só queria ir embora", relatou.

Priscila também disse que, na época da ocorrência, não se sentiu confortável para denunciar porque se sentiu julgada pela aproximação com Bruno Krupp. "Anos depois conversei com pessoas que me mostraram que era absurdo eu 'relevar' o que aconteceu. Descobri que ele fez coisas piores e fiquei bem mal, mas não fiz nada", contou.

A modelo ainda relembrou do caso registrado na Delegacia da Mulher de Jacarepaguá, onde Bruno é acusado de estupro. "Era um padrão dele", completou a jovem. Com o relato de Priscila, uma série de mulheres compartilhou denúncias similares contra o modelo.

Segundo informações do portal Metrópoles, Priscila se apresentou como testemunha de outro caso de estupro envolvendo Bruno Krupp nessa quarta-feira (3). A modelo também registrou ter sido vítima do mesmo crime que relatou ter ocorrido em 2016.

A reportagem tentou contato com o advogado que representa Bruno Krupp, mas não obteve retorno até o momento. O espaço está aberto, caso a defesa queira se manifestar.

*Sob supervisão de Lucas Borges

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store