Ouça a rádio

Compartilhe

Reforço na calçada da fama do Maracanã, Éder Aleixo comemora homenagem: 'estou muito emocionado'

Ex-jogador da Seleção Brasileira e atualmente na comissão fixa do Atlético, o 'Bomba' Éder Aleixo terá os pés imortalizados na calçada da fama do Maracanã

Éder Aleixo defendeu o Atlético e a Seleção Brasileiro; ele terá os pés imortalizados na calçada da fama do Maracanã

Um dos grandes ídolos da história do Atlético e atualmente trabalhando na comissão fixa do alvinegro, Éder Aleixo receberá importante homenagem no maior palco do futebol brasileiro. No dia 28, ao lado do ex-lateral Cafu e do atacante Fred, do Fluminense, o 'Bomba de Vespasiano' será eternizado na calçada da fama do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Com a camisa do Galo, Éder fez 368 partidas e marcou 122 gols. Peça importante também na Seleção Brasileira, a qual defendeu na Copa do Mundo de 1982 - ele foi parte do time que, até hoje, é considerado como um dos maiores da história do futebol -, o 'Bomba' acumulou 52 jogos e marcou 8 gols, de 1979 a 1986.

Curiosamente, sua estreia com a camisa Canarinho aconteceu no Marca, nos 6 a 0 sobre o Paraguai, em 17 de maio de 1979. Ele precisou de 4 minutos para balançar a rede pela seleção pela primeira vez. Ele esteve também no primeiro jogo da CBF (quando a entidade deixou de ser CBD), em 31 de maio do mesmo ano, na vitória por 5 a 1 sobre Uruguai. Éder fez o último gol, aos 41 minutos do segundo tempo.

"Falar de seleção brasileira e de calçada da fama no Maracanã. Recebi este convite e sou muito grato à Suderj por isso. Estou emocionado, pois é uma coisa que eu não esperava. Estou muito feliz e no dia 28 estarei no Maracanã para confirmar isso. Sou muito grato, não só aos atleticanos, mas aos torcedores do Brasil inteiro, que me apoiaram naquela Copa do Mundo", destaca Éder à Itatiaia.

"Com aqueles jogadores ao meu lado, eu tinha que aparecer também. Ficava fácil jogar com aquela turma. Sou um privilegiado por participar daquela Copa com aqueles jogadores, em 82. Infelizmente não ganhamos, mas tive oportunidade de mostrar alguma coisa, fazendo gols e ajudando meus companheiros. Sou um cara privilegiado e abençoado por Deus. Até hoje nos falamos no Whatsapp", acrescenta o Bomba.

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido