Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Produtores de queijos MA podem se regularizar sem custos; saiba como

Parceria entre o Governo de Minas, Procon-MG/MPMG e Fundo Estadual de Defesa e Proteção do Consumidor oferece assistência técnica gratuita a produtores de queijo Minas Artesanal

Projeto Minas Legal é voltado apenas para produtores de queijo Minas Artesanal

Projeto Minas Legal é voltado apenas para produtores de queijo Minas Artesanal

Maria Teresa Leal/Itatiaia

Você é produtor de queijo, deseja regularizar sua queijaria, mas não sabe como? O Projeto Queijo Minas Legal do governo de Minas, pode ser uma boa alternativa no sentido de facilitar esse processo. Funciona assim: extensionistas da Emater-MG fazem visitas técnicas, periódicas, às propriedades participantes orientando quanto aos cuidados para obtenção do leite, processamento e maturação do queijo, tratamento de água e dejetos, obtenção de alimentação para os animais e boas práticas agropecuárias em geral.

Mais de 800 visitas técnicas a estabelecimentos produtores de queijo artesanal jál foram realizadas em 160 municípios. O projeto dispõe de recursos da ordem de R$ 2,8 milhões e,atualmente, cerca de 650 produtores são beneficiados.

O Governo de Minas reconhece a importância dos queijos artesanais e, por esse motivo, tem lançado diversas frentes de trabalho para promover e valorizar esse importante produto, como é o caso do projeto Minas Legal. Os queijos artesanais representam a tradição, a cultura e a história de Minas Gerais e esse projeto tem trazido mais segurança para a população e visibilidade para os queijos artesanais”, completa o secretário de Agricultura, Thales Fernandes.

Experiência de sucesso

O produtor familiar Arthur Patrus de Campos Bello, de Barbacena, na região de Campo das Vertentes, conseguiu a habilitação sanitária para a sua queijaria em 2023, por meio do projeto.

“Estou na atividade leiteira há mais de 40 anos. Hoje, minha filha e meu genro que estão se empenhando, meus netos são ainda muito jovens, mas também estão sempre na fazenda. Achamos que uma maneira de melhorar nossa condição seria verticalizar a produção e montar um laticínio, assim também somos produtores de doce de leite”, conta.

“Depois, para utilizar o excedente de leite, pensamos em produzir o Queijo Minas Artesanal e montar uma queijaria. Foi quando a gente buscou a ajuda da Emater-MG e fomos orientados por meio do projeto. Ainda estamos em uma fase de experiência e nos organizando para aumentar a produção”, relata Arthur.

Previsões para 2024

A previsão é de que sejam feitas 2,6 mil inspeções a queijarias em 160 cidades mineiras, até o término do projeto em 2024. Cada produtor receberá quatro visitas técnicas. Os dados no fim de novembro apontam que 202 queijarias tiveram duas inspeções e 56 tiveram três.

A Emater-MG e a Seapa são responsáveis pela seleção dos produtores. Os recursos são direcionados ao treinamento de profissionais da Seapa e suas vinculadas, a Emater-MG, além de visitas aos estabelecimentos produtores, fica responsável por análises laboratoriais de amostras de água e queijos e equipamentos.

Todas as etapas são acompanhadas e validadas pela Coordenação do Procon-MG. O plano de trabalho inclui a estruturação de um laboratório da Epamig, com um investimento de R$ 192 mil, e a aquisição de kits de testagem, utilizando recursos na ordem de R$ 25 mil.

(*) Com informações da Seapa

Maria Teresa Leal é jornalista, pós-graduada em Gestão Estratégica da Comunicação pela PUC Minas. Trabalhou nos jornais ‘Hoje em Dia’ e ‘O Tempo’ e foi analista de comunicação na Federação da Agricultura e Pecuária de MG.



Leia mais