Ouvindo...

Times

Plataforma mineira de cuidados em casa oferece serviços gratuitos para profissionais de saúde

A Isi Care já atendeu mais de 1.100 profissionais cadastrados, realizou 50 mil entrevistas qualificadas e mais de 9 mil atendimentos desde 2022

Conectar quem precisa de assistência de saúde em casa a quem pode oferecer esse cuidado especializado. Esse é o objetivo que move uma startup mineira criada para facilitar o acesso de pacientes e profissionais de saúde a serviços do chamado home care (cuidados em casa, em português). Uma ideia simples que exige, nos bastidores, uma engrenagem que gira graças ao investimento em tecnologia e análise de dados.

Nascida há três anos, a Isi Care já exibe números robustos. São mais de 1.100 profissionais cadastrados, 50 mil entrevistas qualificadas realizadas e mais de 9 mil atendimentos intermediados desde 2022, quando a plataforma passou a operar. O CEO Frederico Guimarães, engenheiro de produção por formação, conta que a ideia surgiu quando era sócio de uma empresa de home care e se viu diversas vezes em uma encruzilhada para encontrar profissionais com determinadas especificações técnicas para cobrir um plantão.

Leia também

“Criamos um sistema que realiza o match perfeito entre profissionais da saúde com a necessidade que as empresas de saúde têm para atender seus pacientes. Para isso, montamos um banco de dados dinâmico capaz de otimizar até, mesmo, a localização do profissional e do paciente. Temos como referência empresas americanas que já se tornaram unicórnio (empresas com valor de mercado superior a US$ 1 bilhão) nos EUA”, conta Guimarães.

Os clientes da startup são empresas de saúde, como clínicas, hospitais e planos de saúde, mas a plataforma exerce a vocação de prestação de serviços, beneficiando pacientes e profissionais de saúde.

“É uma ótima solução para empresas, que podem direcionar seus esforços no foco do seu negócio sem precisar investir em logística para levar os profissionais aos clientes finais; para os profissionais, que podem ter uma remuneração maior e, especialmente, para pacientes, que têm a comodidade de escolher os melhores profissionais para sua necessidade, por meio de filtros, como faixa etária, capacidades técnicas, localidade e necessidades clínicas”, explica a diretora de operações, Fernanda Guimarães.

Para pacientes e profissionais de saúde, a plataforma é gratuita. Basta acessar a página www.isicare.com.br para buscar por atendimento e para se cadastrar. Nesse caso, a plataforma é aberta a profissionais autônomos ou que atuem como pessoa jurídica.

Outra vantagem para os profissionais de saúde é poder contar com parcerias de empresas de contabilidade, que oferecem descontos. O sistema é intuitivo para reduzir dificuldades para uso da plataforma. A ISI Care valida o cadastro para trazer segurança aos pacientes.

Olhos no futuro

A startup acaba de fechar contrato com uma grande empresa de atenção domiciliar em Belo Horizonte com atendimentos em várias cidades de Minas Gerais e, nos próximos meses, deve expandir seus negócios para o estado de São Paulo. Também está no radar o investimento em design de serviços, o que deve culminar no lançamento de um app para facilitar ainda mais o acesso para os usuários.

Além disso, apesar da pouca idade, a startup já pensa em diversificar o negócio. O próximo passo é ganhar o mercado e-learning. “Estamos estudando parcerias com educação na área da saúde para abrigar na plataforma cursos capacitação na área de saúde”, adianta Fernanda.

“A pandemia afetou a saúde mental de muitos profissionais de saúde. A plataforma traz independência a eles, que não ficam dependendo da contratação de uma empresa. Sem contar que o paciente pode ser atendido por um profissional que está muito mais satisfeito em seu dia a dia de trabalho. E por aqui, a gente trabalha feliz. Isso nos move”, resume.


Participe dos canais da Itatiaia:

O Órbi Conecta é o principal hub de inovação e empreendedorismo digital de Minas Gerais, e agora mantém uma coluna publicada semanalmente às terças-feiras no portal da Itatiaia.
Leia mais