Ouvindo...

Times

Técnico mineiro suspeito de enviar áudio racista para jogador é indiciado; relembre o caso

Treinador de Pompéu (MG) confessou ter chamado o jovem de “preto, gordo, retardado e mongol”, mas nega que teve intenção racista; se condenado, o suspeito pode pegar até 5 anos de prisão

A Polícia Civil indiciou, nesta quinta-feira (20), o técnico de um time de handebol de Pompéu (MG) suspeito de enviar um áudio racista para um jogador adversário durante os Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG).

Em depoimento aos investigadores, o treinador confessou que enviou as mensagens para o jovem de 15 anos, mas negou que tinha a intenção de ofender a vítima com termos racistas. O treinador foi indiciado pelo crime de injúria racial (injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro, em razão de raça, cor, etnia ou procedência nacional). Se condenado, pode pegar até cinco anos de prisão.

Em nota, os advogados Paulino Gontijo, Alexandre Simão e Leonardo Gontijo, responsáveis pela defesa do treinador, informaram que “a conclusão da Polícia Civil possui natureza opinativa, tendo se distanciado de uma acertada compreensão da realidade jurídica dos fatos”.

Relembre o caso

O treinador, de 31 anos, enviou um áudio com xingamento racista para um jogador do time de Sete Lagoas, que enfrentaria a equipe de Pompéu nos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG). Além disso, o suspeito ainda ofende o próprio jogador e a cidade natal dele.

As equipes disputavam os Jogos Escolares de Minas Gerais, evento promovido pelo Governo de Minas Gerais. O tema da cerimônia de abertura da etapa do evento em Pompéu foi, justamente, o racismo.

Na época, a Prefeitura de Pompéu emitiu uma nota de repúdio em relação ao caso. Além disso, o time e o técnico se posicionaram em uma nota conjunta, onde o profissional afirma que “nunca teve a intenção de causar ofensas ou menosprezar qualquer pessoa, muito menos racialmente” e declara que “espera que tudo seja esclarecido em seu tempo.”

A nota foi apagada do perfil do time, que foi alvo de uma ação do Ministério Público que pedia a dissolução da associação e o fim do patrocínio público à entidade. Nas redes sociais, o time afirma que está “sob nova direção”. No seu perfil pessoal, o treinador comemorou a segunda colocação do time no JEMG.

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Leia mais