Ouvindo...

Times

Chuva no Sul: quais são as prioridades em um desastre natural como as enchentes no RS?

Especialista explica os principais pontos a serem considerados pelas autoridades na resposta e recuperação de uma tragédia climática de grande escala

Diante de um desastre da proporção das enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul, afetando o estado inteiro, é essencial que as autoridades estabeleçam prioridades claras para lidar com a situação. Segundo Pedro Côrtes, analista de clima e meio ambiente da CNN, é crucial garantir o resgate e fornecimento de suprimentos básicos, como água, comida e abrigo, para as pessoas afetadas. Muitas ficaram desabrigadas ou sem acesso a itens essenciais.

Ações imediatas

Nesta fase de resposta, os esforços se concentram na tentativa de restaurar as vias de acesso e o transporte de insumos hospitalares, alimentos e combustíveis. A recuperação da infraestrutura de transporte é fundamental para garantir a chegada de ajuda.

Além disso, é necessário avaliar o impacto nos recursos hídricos e no saneamento básico. Alguns municípios podem estar sem abastecimento de água, enquanto outros correm o risco de contaminação da rede, o que pode levar à proliferação de doenças de veiculação hídrica.

Segurança energética e alimentar

A segurança energética também é uma preocupação, uma vez que muitas hidrelétricas da região podem ter sido afetadas. O Rio Grande do Sul já começou a importar energia do Uruguai, mas esse país também está sujeito a ser atingido por eventos climáticos extremos.

A segurança alimentar é outro ponto crucial, pois a colheita e o armazenamento de alimentos podem ter sido prejudicados. Além disso, é necessário avaliar o impacto nos portos e armazéns da região.

Recuperação e resiliência

Após a fase inicial de resposta, a recuperação deve visar não apenas o restabelecimento das condições pré-crise, mas um aumento da resiliência para enfrentar futuros desastres. Uma reavaliação das questões hidrológicas e geológicas será necessária, considerando os estudos atualizados sobre riscos climáticos na região.

Embora os eventos extremos tendam a se tornar mais frequentes, é essencial que as autoridades aprendam com essa tragédia e implementem medidas para fortalecer a capacidade de enfrentamento de desastres futuros.

Leia também

Chuva no RS pode fazer o preço dos alimentos subir? Especialistas explicam

Câmara aprova decreto de calamidade pública no RS; texto segue para o Senado

Número de mortos no Rio Grande do Sul sobe para 85


Essa notícia é fornecida em parceria com a CNN Brasil

Acompanhe as últimas notícias produzidas pela CNN Brasil, publicadas na Itatiaia.
Leia mais