Ouvindo...

Times

Caso Tio Paulo: veja o que o laudo diz sobre a hora da morte do idoso no RJ

Homem de 68 anos foi levado, já morto, para agência bancária em shopping de Bangu; sobrinha alega que idoso ainda estava vivo quando chegou ao banco

O laudo do exame de necrópsia do ‘tio Paulo’, idoso de 68 anos que foi levado morto a uma agência bancária no Rio de Janeiro pela sobrinha na tentativa de fazer um empréstimo bancário, diz que não é possível concluir se o homem morreu a caminho do banco ou no interior da agência. Segundo os peritos, o idoso pode ter morrido poucas horas antes de ser atendido por agentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O laudo é assinado pelo perito legista Leonardo Dias Ribeiro. Segundo o documento, foram identificados sinais de edema pulmonar (líquido no pulmão) e falência cardíaca por doença isquêmica prévia. As causas da morte de Paulo Roberto Braga foram identificadas como ‘broncoaspiração do conteúdo estomacal (aspiração de conteúdo do estômago para o interior das vias respiratórias) e falência cardíaca’. A perícia aguarda exames toxicológicos para comprovar ou descartar a presença de medicamentos, ou drogas, que podem ter contribuído para a morte do idoso.

Apesar de não confirmar a hora exata da morte de ‘tio Paulo’, o perito concluiu que o óbito ocorreu de 10 a 24 horas antes do idoso passar pelo exame de necropsia: ‘o óbito ocorreu entre 10,5h à 24 horas em relação ao momento da necropsia, sendo assim entre 11:30h do dia 16/04/2024 e 01:00h do dia 17/04/2023’. O texto também explica que a rigidez cadavérica se instala de forma progressiva, começando pela mandíbula e nuca e descendo para os outros membros.

Atendimento em unidade de saúde

Imagens divulgadas pela GloboNews mostram Paulo, ainda vivo, sendo levado por Érika a uma unidade de saúde de Bangu, no Rio de Janeiro, na noite de segunda-feira (15). Segundo a perícia, ele tinha sido diagnosticado com pneumonia e estava dependente de oxigênio. O prontuário do paciente indica que, quando teve alta, Paulo tinha frequência cardíaca elevada, saturação de oxigênio no sangue periférico de 95%, disartria (perda da capacidade de articular as palavras de forma normal) e dificuldade para deglutir. De acordo com o perito, esses detalhes corroboram com as causas da morte’.

Leia também

‘Tio Paulo’

Uma mulher foi detida nessa terça-feira (16) em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, após levar um cadáver em uma cadeira de rodas para tentar retirar um empréstimo no valor de R$ 17 mil em uma agência bancária.

A ação de Érika de Souza Vieira Nunes foi flagrada por funcionários do banco, que suspeitaram da atitude da mulher. A polícia e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência também foram acionados, e foi constatado que Paulo Roberto Braga, de 68 anos, estava morto.

Segundo Fábio Luiz, delegado responsável pelo caso, o homem já estava morto há algumas horas. A defesa de Érika, no entanto, nega e afirma que o idoso começou a passar mal dentro do banco.

Ela ficou detida durante toda a madrugada dessa quarta-feira (17) na 34ª DP em Bangu, e deve passar por audiência de custódia. Ela pode responder por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio a cadáver, sem direito a fiança.


Participe dos canais da Itatiaia:

Jornalista formado pela UFMG, com passagens pela Rádio UFMG Educativa, R7/Record e Portal Inset/Banco Inter. Colecionador de discos de vinil, apaixonado por livros e muito curioso.
Graduada em Jornalismo pela PUC Minas, é repórter da Itatiaia desde abril de 2023, na equipe de redes sociais. Já passou pela redação do jornal Estado de Minas, tem experiência principalmente em vídeos, podcasts e reportagens multimídia.
Leia mais