Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Mais de 70 torcedores são detidos no entorno do Maracanã após partida entre Flamengo e Fluminense

Entre os detidos estão diversos integrantes de torcidas organizadas, que estavam proibidos de frequentar os estádios por decisão do Tribunal Justiça do Rio de Janeiro

Após o clássico entre Flamengo e Fluminense, nesse domingo (25), no estádio do Maracanã, 72 torcedores foram detidos pela Polícia Militar nos arredores do estádio. Uma das ações ocorreu na Praça Vanhargem, próxima ao estádio do Maracanã, na Zona Norte do Rio, onde 36 pessoas envolvidas em um confronto entre grupos de torcidas organizadas foram detidas por policiais do Batalhão de Rondas Espaciais e Controle de Multidões (RECOM). Entre os detidos estão diversos integrantes de torcidas organizadas, que estavam proibidos de frequentar os estádios, por uma decisão do Tribunal Justiça do Rio de Janeiro.

Em outra ação, os agentes do Batalhão Especial de Policiamento em Estádios (BEPE) abordaram na mesma praça um grupo de torcedores transportando pedras, que supostamente seriam utilizadas em confrontos com grupos rivais. Em outro ponto, mas ainda nos arredores do Estádio do Maracanã, dois homens foram detidos pelos policiais do BEPE acusados da prática de cambismo. Com eles, os agentes apreenderam bastões, artefatos explosivos, pedras, cartões de sócio dos clubes, 20 ingressos para o jogo deste domingo, um aparelho de telefone celular, além de R$ 46 em dinheiro.

Todos os 72 detidos foram levados ao Juizado Especial do Torcedor e Grandes Eventos do Estádio do Maracanã. Além dos detidos, agentes do 6° BPM (Tijuca) apreenderam 26 dos chamados ‘flanelinhas’ por exercer ilegalmente a profissão de guardadores de carro nas proximidades do estádio do Maracanã. Todos foram encaminhados para as delegacias da região da Grande Tijuca.

O esquema de segurança para o clássico contou com mais de 900 policiais militares.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Diana Rogers tem 34 anos e é repórter correspondente no Rio de Janeiro. Trabalha como repórter em rádio desde os 21 anos e passou por cinco emissoras no Rio: Globo, CBN, Tupi, Manchete e Mec. Cobriu grandes eventos como sete Carnavais na Sapucaí, bastidores da Copa de 2014 e das Olimpíadas em 2016.
Leia mais