Ouvindo...

Times

Papa é presenteado com ‘Queijo do Ivair’ e envia carta a produtor brasileiro para agradecer

Embaixador do Brasil no Vaticano, Éverton Vieira foi quem intermediou a entrega da iguaria; na carta, sua santidade escreve: “por favor, ore por mim. Eu farei o mesmo por ti”.

O produtor cultural Jordane Macedo é um apaixonado por Queijo Minas Artesanal (QMA). Foi ele quem teve a ideia de incentivar produtores da Região da Canastra a fazer um queijo gigante (possivelmente com mais de 30 kg) para entrar para o Guinness Book, empreitada ainda em andamento. Também foi dele a iniciativa de criar a Rota do Queijo Canastra, instalando na região 26 placas indicativas com QRCodes que direcionam o turista para as propriedades próximas, fornecendo informações dos produtores próximos, telefones de contato e disponibilidade de horários para visitas em suas queijarias. “Gosto de pensar fora da caixinha”, disse.

Recentemente, Jordane decidiu que queria “dar a volta ao mundo”, mostrando o QMA. Passou pela Bolívia, Miami, QWest, no Caribe, Washington, onde visitou a Nasa, Japão (passando por Tóquio e várias outras cidades) e na, sequência, Singapura e Roma. Em todos esses lugares, achou um tempo para mostrar o queijo, presentear algumas pessoas e divulgar o produto. Nem o Mickey escapou. “Pensei, eu preciso dar um queijo para o rato mais famoso do mundo!” E deu!

E-mail para a Embaixada

No caso do Papa, ele mandou e-mail para a Embaixada do Brasil no Vaticano e contou com a ajuda de alguns amigos influentes. “Minha expectativa era conseguir entregar o queijo diretamente para o Papa. Mas descobri que essas agendas são fechadas com muita antecedência, às vezes até de anos”.

O jeito foi contar com o intermédio do embaixador, Éverton Vieira, que prometeu entregar a iguaria, junto com uma carta, escrita por Jordane, explicando do que se tratava o produto, de que era feito, como era feito, que possuía o SIF (Serviço de Inspeção Federal) que permitia que fosse comercializado internacionalmente e etc.

Depois de toda essa longa jornada que durou cerca de um mês, Jordane voltou pra casa. Mas o melhor ainda estava por vir e veio pelo Correio: uma carta do Papa Francisco, agradecendo o presente. Jordane leu e chorou. “Nunca imaginei que merecia tal honraria, com tanta delicadeza e sentimento”, comentou.

Ivair e Lúcia, donos do Queijo do Ivair, disseram que quando o Jordane contou que ia levar um queijo para o papa Francisco, ficaram super felizes, mas ao mesmo tempo duvidaram: “Será que esse queijo realmente chegaria às mãos do Papa?”

Quando veio a foto da iguaria com o embaixador, eles ficaram animados, mas ainda se perguntando: “será que ele vai entregar mesmo para o papa? Será que o papa vai experimentar?”

A carta, com o selo de autenticidade do Vaticano, era a resposta que precisavam. “Foi emocionante demais. Pensar que começamos tão pequenininhos e a vida foi levando a gente por caminhos nunca imaginados como a busca incessante pela qualidade, o reconhecimento na forma de prêmios nacionais e internacionais e, de repente, nosso queijo vai parar nas mãos de sua santidade, o papa. Não encontro palavras pra descrever isso. Dá um nó na garganta. E os dizeres do papa abençoando a gente? Eu já li várias vezes essa carta e toda vez fico sem palavras”.

Leia a carta, na íntegra:

Jordane disse que empreitadas bem sucedidas como essa o impulsionam a buscar sempre mais. “Sou movido por sonhos e eles, pra mim, não têm limites. Gosto muito de divulgar os QMAs porque as pessoas adoram e a aceitação é impressionante. A palavra “queijo” é mágica, abre portas”, comentou.

Maria Teresa Leal é jornalista, pós-graduada em Gestão Estratégica da Comunicação pela PUC Minas. Trabalhou nos jornais ‘Hoje em Dia’ e ‘O Tempo’ e foi analista de comunicação na Federação da Agricultura e Pecuária de MG.



Leia mais