Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Fake news: assessoria de Daniel Alves desmente boato sobre suicídio do jogador

Estafe do jogador se posicionou e negou boato sobre morte do ex-jogador do Barcelona e da Seleção

A assessoria de imprensa do jogador Daniel Alves, de 40 anos, desmentiu neste sábado (9) à noite o boato disseminado na rede social X (ex-Twitter) de que o brasileiro suicidou.

Esta foi a primeira manifestação oficial por parte do estafe do jogador desde que um perfil no X escreveu, às 16h19 deste sábado (9), a seguinte mensagem: ‘Informação que me chega é que o Daniel Alves se matou’.

Assessor de imprensa de Daniel Alves, o jornalista Acaz Fellegger se posicionou em contato com a Itatiaia. “A informação foi plantada no Twitter pelo perfil de Paulo Albuquerque, do Rio de Janeiro. Sem nenhum fundamento. Nenhuma veracidade. Falei com a advogada e deve processar esse irresponsável”.

Condenação na Espanha

Daniel Alves está preso na Espanha, onde foi condenado a quatro anos e meio de prisão, no dia 23 de fevereiro deste ano, por estuprar uma mulher de 23 anos no banheiro de uma boate de Barcelona, em dezembro de 2022. O Ministério Público espanhol, no entanto, pedia condenação com 9 anos de prisão.

Daniel Alves já passou um ano na prisão, tempo que será descontado da condenação. Depois que for liberado, terá que cumprir um período de cinco anos de liberdade vigiada, além da proibição de se aproximar a menos de mil metros do domicílio ou do local de trabalho da vítima por nove anos e seis meses.

O julgamento de Daniel Alves

O julgamento do lateral-direito Daniel Alves chegou ao fim no dia 7 de fevereiro e durou três dias. Foram ouvidas testemunhas, a vítima, peritos e o acusado.

O Tribunal de Barcelona decidiu manter o julgamento mesmo com o pedido da defesa do atleta para que houvesse uma suspensão por violação de direitos como o da presunção de inocência.

Os magistrados consideraram que nenhum direito foi violado. O tribunal disse que Daniel Alves contou com a presença de uma advogada desde o momento em que foi preso, o que não caracteriza violação de direitos.

Em depoimento, o jogador chorou, alegou uso excessivo de bebida alcóolica e negou que tenha praticado estupro. Na época, a vítima tinha 23 anos. Ela acusou o jogador de agressão sexual.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Leia também

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Alexandre Simões é coordenador do Departamento de Esportes da Itatiaia e uma enciclopédia viva do futebol brasileiro
Marcelo Bechler é correspondente da Itatiaia na Europa
Leia mais