Ouça a rádio

Ouvindo...

Times

Esposa de Daniel Alves se pronuncia pela primeira vez após condenação: ‘Incoerentes’

Modelo desabafou nas redes sociais um dia após a condenação do jogador a quatro anos e meio de prisão

A esposa de Daniel Alves, Joana Sanz se pronunciou pela primeira vez após a condenação do marido a quatro anos e meio de prisão pelo crime de agressão sexual. Em seu Instagram, a modelo gravou uma sequência de stories desabafando sobre os acontecimentos.

“Estava pensando aqui e, se posso intitular, são incoerentes. Porém, me surpreendeu bastante as feministas. Falam umas coisas e pregam outras… Como é que estão dizendo por aí? Chamam de frívola, de garotinha… e perguntam: por que está trabalhando? Mas, se não trabalho, quem está pagando as contas? Mas tem coisa pior, barbaridades piores que escuto por aí”, disse Sanz.

A esposa do jogador havia limitado os comentários da rede social antes mesmo de o veredito final do julgamento de Daniel Alves ser divulgado. A medida foi tomada para evitar as mensagens de internautas sobre o caso. Sobre o seu pronunciamento a modelo declarou:

“Não vivo publicando nas redes sociais (…) E não é sempre que tem que ser como me sinto, como deixo de me sentir. Quando me abro e quero expressar meus sentimentos, faço. E quando não, não tem um porquê. Só com meus amigos, no meu íntimo, só com os que estão convivendo comigo”, completou.

Leia também

Daniel Alves condenado

O ex-jogador Daniel Alves foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão por agressão sexual a uma jovem no banheiro de uma boate. O resultado foi anunciado pela Justiça de Barcelona, na Espanha, na manhã desta última quinta-feira (22).

O ex-lateral da Seleção Brasileira também terá liberdade supervisionada por cinco anos, após cumprir o período como detento. A juíza Isabel Delgado, da 21ª Seção de Audiência de Barcelona, também ordenou que ele fique afastado da mulher por nove anos e pague uma indenização de 150 mil euros (cerca de R$ 804 mil). Daniel também deve pagar as custas do processo.

A sentença considera provado que “o acusado agarrou bruscamente a denunciante, derrubou-a no chão e, impedindo-a de se mover, penetrou-a vaginalmente, apesar de a denunciante dizer que não, que queria ir embora”. E entende que “com isso se configura a ausência de consentimento, com o uso de violência e com acesso carnal”.

Daniel Alves foi acusado de agredir sexualmente uma jovem, na época com 23 anos, em uma boate de Barcelona, em dezembro de 2022. Em depoimento, o ex-lateral chorou, disse que tinha consumido bebida alcoólica e negou ter estuprado a jovem.

Participe do canal da Itatiaia no Whatsapp e receba as principais notícias do dia direto no seu celular. Clique aqui e se inscreva.

Ana Luiza Pereira é jornalista em formação pela PUC Minas. Com passagens por TV Horizonte, Rádio Inconfidência e Rede Minas, dedica-se à cobertura esportiva e integra o time do Itatiaia Esporte.
Leia mais