Ouça a rádio

Compartilhe

UPAs ficam superlotadas e com atendimento demorado às crianças em BH: 'sem previsão, está lotado'

Diante da alta da demanda, a PBH  concentrou em três UPAs o atendimento para crianças neste fim de semana. Nova estratégia não funcionou 

Cada unidade funcionou com pelo menos três médicos para o público infantil

Mesmo trabalhando com um serviço exclusivo para atendimento de crianças com sintomas respiratórios neste fim de semana, a UPA Norte, que fica no Bairro Novo Aarão Reis, registrou superlotação e demora no atendimento nesse domingo (12). 

A reportagem da Itatiaia esteve no local e constatou uma grande fila de espera para atendimentos que, segundo os pacientes, contava com mais de 50 pessoas por volta das seis horas da tarde. 

Como a Itatiaia acompanhou, a Prefeitura de Belo Horizonte concentrou em três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) o atendimento para crianças neste fim de semana, diante da alta da demanda. Ficaram responsáveis pelos atendimentos as UPAs Barreiro, Oeste e Norte. Mães afirmaram que a espera por atendimento passava de seis horas. 

A doméstica Divani dos Passos Gonçalves Santos, de 38 anos, levou a filha com otite para a UPA. “Passei na triagem 12h40. Eles falaram que eu poderia dar um  remédio porque ia demorar muito pra atender. Eu dei o remédio e ela está tranquila aguardando até agora”, contou. Por volta das 18h10, a criança ainda não tinha sido atendida. “Sem previsão, está lotado. Muita criança”, acrescentou. 

Amanda dos Santos Pinheiro, de 25 anos, disse que foi orientada a procurar outra UPA. “Eu cheguei por volta das 16h30 e fui atendida às 17h. 50 crianças estavam na frente. Me disseram para procurar outra unidade,  mas estou com um pouco de medo porque está tudo muito cheio”, afirmou. 

O que diz a prefeitura

Por meio de nota, a Prefeitura de BH afirmou que a UPA Norte contava, ontem,  com nove médicos, sendo três profissionais responsáveis pelo atendimento às crianças.

A prefeitura também afirma que houve um aumento no número de pacientes com quadros mais graves, o que impacta em um tempo maior de espera para pacientes classificados como não urgentes. 

Por fim, a prefeitura da capital conclui dizendo que tem trabalhado para agilizar o atendimento da população e que já colocou em implantação medidas para reduzir o tempo de espera e recompor as equipes médicas das unidades, conforme anunciado na coletiva realizada na última sexta-feira.


Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store

Acesso rápido