Ouça a rádio

Compartilhe

Policial militar mata oito no Paraná, incluindo dois filhos, esposa, mãe,  irmão e enteada, e suicida

Outras duas pessoas também foram mortas; agente era lotado no 19º Batalhão em Toledo e tirou a própria vida após a chacina 

Fabiano Júnior Garcia percorreu as cidades de Toledo e Céu Azul para cometer os crimes

Um policial militar matou a própria família durante a madrugada desta sexta-feira (15), em Toledo e Céu Azul, cidades do Oeste do Paraná. Após os assassinatos, o homem tirou a própria vida. Entre as vítimas estão dois filhos, a mãe, a esposa e um irmão, além de uma enteada e duas pessoas que estavam na rua.

Fabiano Junior Garcia era lotado no 19º Batalhão em Toledo. Segundo o boletim de ocorrência, ele matou inicialmente a mulher, Kassiele Moreira, e a enteada Amanda Mendes Garcia, de 12, na casa onde moram em Toledo (PR).

Em seguida, foi até a casa onde a mãe, Irene Garcia, de 78, morava com o irmão Claudiomiro Garcia, de 50, e matou os dois. Na saída, matou aleatoriamente dois jovens que passavam pela rua, Kaio Felipe Siqueira da Silva e Luiz Carlos Becker.

Fabiano dirigiu ainda até Céu Azul, a 65 km de distância, e matou os dois filhos mais novos, Miguel Augusto da Silva Garcia, de 4 anos, e Kamili Rafaela da Silva Garcia, de 9.

O militar teria então retornado para Toledo e se deparou com uma equipe da PM que prestava atendimentos no local onde ele havia matado a mulher e a filha. Ele então passou em baixa velocidade pelo local e, após estacionar o carro, disparou conta a própria cabeça, segundo os policiais.

Equipes de socorro foram acionadas, mas apenas puderam constatar o óbito de Fabiano Garcia, que estava com uma arma de fogo funcional, bem como munições e carregadores, além de uma faca que possivelmente foi utilizada no homicídio da mãe. Ainda segundo informações da polícia, o PM estava em processo de separação e tinha dívidas. Segundo colegas, Garcia era considerado um bom policial.

Leia a nota da PM sobre o caso:

A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo-PR e Céu Azul-PR.

O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico de problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade.

Desde dezembro de 2020 a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico aos militares, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares.

* com informações de Estadão Conteúdo

Leia Mais

Mais lidas

Ops, não conseguimos encontrar os artigos mais lidos dessa editoria

Baixar o App da Itatiaia na Google Play
Baixar o App da Itatiaia na App Store